Logomarca

Um jornal a serviço do MS. Desde 2007 | Segunda, 29 de Novembro de 2021

Policial

Estelionatário zomba da facilidade para obter título de eleitor em MS

Se a Justiça não fosse falha, eu não seria estelionatário. É a coisa mais fácil de fazer, tirar um título. Se eu quisesse, tirava dez por dia lá no TRE”, retrucou.

Midiamax

14 de Agosto de 2013 - 15:46

Hélio Berço Sales Vidal, de 38 anos, foi preso em flagrante nesta quarta-feira (14) após tentar aplicar um golpe em uma financiadora, onde tentava fazer um empréstimo de R$ 5 mil para tirar a filha da cadeia em Manaus, no Amazonas. Ao ser preso, ele ainda zombou do TRE-MS (Tribunal Regional Eleitoral de Mato Grosso do Sul), dizendo que “se quisesse, eu tivara dez títulos por dia”.

Em operação conjunta da Decon (Delegacia Especializada de Repressão aos Crimes Contra as Relações de Consumo) e a Dedfaz (Delegacia Especializada de Repressão aos Crimes de Defraudações), policiais chegaram ao estelionatário após uma denúncia de que ele estava tentando fazer empréstimo em nome de um médico conhecido de Campo Grande.

“Se a Justiça não fosse falha, eu não seria estelionatário. É a coisa mais fácil de fazer, tirar um título. Se eu quisesse, tirava dez por dia lá no TRE”, retrucou. Hélio conta que ganhou um colchão de presente do médico e que usou a nota fiscal para ter acesso ao nome completo dele. Em posse disso, ele inventou um número de RG do Amazonas e falsificou uma carteira de trabalho, indo ao TRE para retirar o título de eleitor.

“Tirei o título ontem, registrei firma, peguei o selo do cartório e falsifiquei uma cópia da carteira de trabalho”, explica. Com o documento ‘autenticado’, ele fez cadastro e já iria retirar um CPF pelos Correios. Hoje, ele foi a empresa tentar fazer um financiamento.

Hélio já tem passagem por estelionato em Dourados, onde estava foragido do regime semiaberto. Ele conta que tentava conseguir dinheiro para tentar tirar a filha Camila, de 20 anos, da cadeia em Manaus. “Ela está presa por tráfico. Por um filho, a gente faz coisa muito pior. Uma mãe lá da cidade se jogou na frente de um ônibus e empurrou o filho, salvando a vida dele”, tentou explicar.

Hélio fala que precisa de tratamento psicológico e demonstra conhecimento de suas ações. “O sistema é que corrompe a gente. Sabe o banqueiro, Daniel Dantas? Ele fez o que fez e está solto. Eu com esses papéis fui preso”, diz rindo. O rapaz deve responder por uso de documento falsificado e possível falsidade ideológica. Ele está detido no prédio da Cepol.