Logomarca

Um jornal a serviço do MS. Desde 2007 | Segunda, 15 de Agosto de 2022

Policial

Estelionatários compram R$ 10,6 mil em matérias e dão golpe em madeireira

Foram emitidas as duplicadas para serem pagas, porém após o vencimento, os documentos ainda não haviam sido quitados

Campo Grande News

19 de Agosto de 2015 - 08:05

Dois estelionatários foram presos, por volta das 15h desta terça-feira (18), depois de dar um golpe de mais de R$ 10,6 mil em uma madeireira de Campo Grande. Pedro Matias do Nascimento, 50 anos, e Arnaldo Almeida de Souza, 21, haviam aplicado o mesmo golpe em outras empresas.

Conforme o boletim de ocorrência, em junho deste ano, os estelionatários realizaram um compra, por telefone, de R$ 3.777,48 em vigas, ripões e tábuas de madeira, sendo que os materiais foram entreguem em uma empresa chamada Constrular A.A. de Souza e Cia., na Rua Pedro Pedra, no Bairro Santa Mônica. No outro mês, outra compra, de R$ 6.870,44, foi realizada pelos autores.

Foram emitidas as duplicadas para serem pagas, porém após o vencimento, os documentos ainda não haviam sido quitados. Os vendedores entraram em contato com a empresa, porém ninguém atendeu às ligações, então foram até ao estabelecimento, mas o barracão foi encontrado vazio.

A vítima consultou um site, onde são publicados nomes de empresas com débitos, porém não havia registros em nome da Constrular. A madeireira acionou e registrou o caso na Polícia Civil.

O Garras (Delegacia Especializada em Repreensão a Roubo a Banco, Assaltos e Sequestros) prendeu ontem Pedro Matias e Arnaldo, sendo reconhecidos por funcionários da empresa, que realizaram a entrega.

Arnaldo foi capturado em sua casa, no Bairro Mata do Jacinto, confessando o crime e apontando Pedro Matias como comparsa. Ele foi preso na Vila Sobrinho junto com Pedro de Lima, 57, acusado de participar do golpe.

Foram encontradas várias cestas básicas, adquiridas de duas lojas da Capital, além cobertores, cervejas, máquinas e outros objetos. Ezequiel João Andrade, 29, também foi apontado como participante da quadrilha.

O caso foi encaminhado para a DEPAC (Delegacia de Pronto Atendimento Comunitário) do Bairro Piratininga.