Logomarca

Um jornal a serviço do MS. Desde 2007 | Sábado, 16 de Outubro de 2021

Policial

Foragido, um dos réus do caso Mayana se apresentou nesta manhã na capital

Na semana passada, o advogado de defesa do rapaz tentou um habeas corpus, que foi negado

Correio do Estado

14 de Março de 2011 - 09:55

Um dos réus no caso Mayana, Anderson de Souza Moreno, que estava foragido, se apresentou hoje à polícia. Ele chegou acompanhado dos pais, da irmã e de seus advogados de defesa Antônio Carlos Castilho e Patrícia Aparecida Soares na 1ª Delegacia de Polícia Civil por volta das 9h15min de hoje.

O delegado Márcio Rogério Custódio disse que ele era considerado foragido da polícia desde o dia 28 de fevereiro deste ano, quando foi expedido um mandado de prisão preventiva. Na semana passada, o advogado de defesa do rapaz tentou um habeas corpus, que foi negado.

O advogado Antônio Carlos Castilho disse que ele estava na Capital todo o tempo que ficou foragido, dormindo em casas diferentes. "Ele só não se apresentou antes porque estava aguardando a decisão do habeas corpus", diz o advogado. Ele revela que vai protocolar ainda hoje um pedido para que Anderson aguarde o julgamento em liberdade e vai interpor razões para desclassificação do homicídio - de doloso para ulposo, ou seja, quando não há a intenção de matar.

O jovem vai aguardar a decisão do habeas corpus no centro de triagem da Agência Estadual de Administração do Sistema Penitenciário (Agepen). 

 

Entenda o caso  

Anderson de Souza Moreno, 19 anos e Willian Jhony de Souza Ferreira, 25 anos, eram os condutores dos veículos Vectra e Fiat Uno que atingiram o carro Celta de Mayana de Almeida Duarte, de 23 anos, na madrugada de 14 de junho de 2010, em Campo Grande.

A denúncia é de que eles disputavam uma corrida no cruzamento da avenida Afonso Pena com a José Antônio, no Centro.