Logomarca

Um jornal a serviço do MS. Desde 2007 | Sábado, 23 de Outubro de 2021

Policial

Fundador da Gol tem prisão preventiva decretada

Os outros acusados são João Alcides Miranda, João Marques Dos Santos, Victor Bethonico Foresti e Vanderlei Batista Silva

AE

16 de Dezembro de 2010 - 09:22

O empresário Nenê Constantino, sócio-fundador da Gol Linhas Aéreas, teve a prisão preventiva decretada na noite de quarta-feira (15) pelo juiz Fábio Martins, do Tribunal do Júri de Taguatinga, região administrativa localizada a 20 quilômetros de Brasília.

A decisão saiu durante audiência para a oitiva de seis testemunhas de acusação em processo no qual o empresário e outras quatro pessoas foram denunciadas pelo Ministério Público devido ao homicídio de Márcio Leonardo de Sousa Brito. Os outros acusados são João Alcides Miranda, João Marques Dos Santos, Victor Bethonico Foresti e Vanderlei Batista Silva.

O pedido de prisão decretado nesta quarta-feira estaria relacionado a uma tentativa de assassinato de Eduardo Queiroz, o genro do empresário, que aconteceu em 2008. Constantino foi levado ao IML(Instituto Médico Legal ) e seria encaminhado ao Departamento de Polícia Especializada. O empresário é acusado de ser o mandante do assassinato de Sousa Brito, líder de uma associação de moradores que teria invadido uma área de sua propriedade, em 2001. Este é o segundo homicídio atribuído a ele.

As oitivas, que devem continuar nesta quinta-feira, 16, começaram às 9h de quarta-feira. Até as 19h, apenas uma testemunha havia sido ouvida. A motivação do crime, segundo a denúncia, é que a vítima, Márcio Leonardo, que morava em uma invasão ao lado de uma das empresas de Constantino, se recusava a deixar o local. A acusação alega que ele teria sido morto por ordem do empresário.