Logomarca

Um jornal a serviço do MS. Desde 2007 | Sábado, 22 de Janeiro de 2022

Policial

Golpista de luxo, Kelly Samara quer ser aposentar do mundo de mentiras e tramas

Campo Grande News

30 de Maio de 2011 - 09:54

A golpista sul-mato-grossense, Kelly Samara Carvalho dos Santos, de 22 anos, conhecida como Bonequinha de Luxo ou Penélope Charmosa, afirmou que se aposentou do mundo crime.

Considerada inteligente e incorrigível pelos promotores paulistas, ela aplicava golpes contra a alta sociedade de Mato Grosso do Sul, São Paulo e Rio de Janeiro com tramas mirabolantes, como se passar pela filha do presidente paraguaio, Eduardo Lugo ou utilizar o sobrenome da Tranchesi, que pertence a dona da loja de luxo Daslu.

Na edição desta segunda-feira (30), a reportagem do jornal paulista Folha de São Paulo a retrata como uma pessoa esperta e cheia de vaidades, ao entrevistá-la na cadeia pública de Viradouro (SP). Mesmo na prisão ela não deixou de usar roupas de marcas como Lacoste, Calvin Klein, Ellus e tênis Reebok.

A jovem, natural de Amambai, começou seus trabalhos no crime, inventando personagens para aplicar seus golpes ainda com 13 anos de idade.

A prisão anterior ocorreu por furtos em Dourados, se ela tivesse com comparecido às audiências poderia estar em liberdade estaria em liberdade. Somente no TJSP (Tribunal de Justiça de São Paulo), ela responde a quatro processos, acusada de furto e estelionato.

Kelly ou Samara como prefere ser chamada, foi acusada de furtar um quadro do artista Joán Miró, avaliado em R$ 37 mil, de uma galeria de arte, fazer compras em São Paulo com cheques roubados e aplicar golpes contra uma idosa. "Confessar eu não confesso. Me acusaram, eu quero que provem. Fui absolvida (do roubo do quadro). Não tinha nem força para erguer a moldura", defende-se.

Com sotaque caipira, meio sul-mato-grossense, ela discorreu para reportagem do jornal paulista sobre suas ações, mas se declarou inocente de todos os crimes, afirmando que as ações ainda não estão concluídas, “transitadas e julgadas”.

Drama

Ela contou que foi abandonada pela mãe ainda bebê e que o pai e a família lhe deram às costas após as denúncias na imprensa e por isso ela cortou o contato com eles.

Alegando gostar da “adrenalina”, a golpista revela o porque dos alvos luxuoso em seus crimes.

"Não cresci na favela. E você não gosta de coisa boa, por acaso?".

Aposentadoria

Após três prisões nos últimos quatro anos, ela afirma que aprendeu a lição e que viverá uma vida comum, quando sair da cadeia. "Aprendi. Apanhei muito da vida. Tenho só 23 anos [até julho ainda tem 22], mas se eu te falar tudo o que eu já vivi.", finaliza Kelly.