Logomarca

Um jornal a serviço do MS. Desde 2007 | Quarta, 23 de Junho de 2021

Policial

Motociclista que teria empurrado garoto contra veículo nega acusação

As investigações sobre o caso continuam e mais testemunhas devem ser convocadas para prestar esclarecimentos.

Dourados Agora

27 de Agosto de 2013 - 15:45

Um aposentado de 51 anos, apontado por testemunhas como o suspeito pela morte do adolescente Marlon, de 13 anos, ao empurrá-lo contra um veículo na semana passada, se apresentou acompanhado de seu advogado na manhã de hoje ao delegado Venancio Caputti Neto.

Ao delegado, o acusado disse que nem sabia da morte do garoto, ocorrida na quarta-feira passada, e somente se inteirou do fato quando chegou ontem em sua casa, após passar alguns dias em seu sítio, no distrito de Picadinha.

O aposentado disse ainda que em frente a sua residência, onde também funciona um lava-jato, na rua Eulália Pires, na Vila Almeida, havia na quarta passada alguns cones. Confirmou que, neste dia, um grupo de garotos chutou os cones e o agrediu verbalmente.

Com isso, conforme relatou o acusado, ele montou em sua motocicleta, um Titan e saiu em direção aos garotos, mas como o grupo se dispersou, ele seguiu para o sítio, na Picadinha. O acusado disse ainda que não havia ninguém na garupa da motocicleta, conforme testemunhas afirmam.

Segundo o delegado, a versão apresentada pelo aposentado é contrária ao depoimento de várias testemunhas já ouvidas até agora. Por ser contraditório no depoimento, Venancio Caputti Neto deverá indiciar o aposentado por homicídio doloso, quando não há intensão de matar.

As investigações sobre o caso continuam e mais testemunhas devem ser convocadas para prestar esclarecimentos.

O Caso

Na tarde do dia 21 de agosto, quarta-feira passada, o garoto estava de bicicleta e teria derrubado um cone que fica em frente ao lava-jato. A ação, conforme testemunhas disseram na delegacia, teria provocado a ira de pessoas que estavam em frente ao estabelecimento, que perseguiram o jovem em uma motocicleta.

Na Rua Eulália Pires, Marlon foi alcançado, apanhou do carona da moto, que dava tapas e ‘capacetadas’. O adolescente, que estava na ciclofaixa, teria recebido um chute, perdeu o equilíbrio da bicicleta, indo parar na rua, sendo atingido por um carro. O garoto morreu na hora.