Logomarca

Um jornal a serviço do MS. Desde 2007 | Quarta, 22 de Maio de 2024

Policial

Mulher morre após ser atropelada e arrastada

O suspeito, Willames Monteiro dos Santos, foi preso em flagrante e vai responder por feminicídio.

G1 MS

21 de Abril de 2024 - 16:34

Mulher morre após ser atropelada e arrastada
Local onde a vítima foi atropelada e arrastada pelo companheiro.  Foto: Fábio Rodrigues

Uma mulher identificada como Andressa Fernandes Teixeira, de 29 anos, foi atropelada pelo próprio companheiro e morreu na noite de sábado (21), em Campo Grande. O suspeito, Willames Monteiro dos Santos, foi preso em flagrante por feminicídio. A filha de 11 anos do casal presenciou o crime.

Uma testemunha, que preferiu não ser identificada, relatou que Andressa e Willames consumiram bebidas alcóolicas durante o dia e começaram a brigar por volta das 21h. O homem, então, entrou no carro para sair de casa e a vítima sentou em frente ao portão, do lado de fora, para impedir que ele saísse.

No entanto, Willames acelerou o carro, de ré, e atropelou o portão e a mulher juntos. Andressa acabou presa debaixo do veículo e foi arrastada por alguns metros.

"Eu comecei a gritar, pelo amor de Deus para ele parar, mas ele ignorou, mandou eu não me intrometer. E ele não cedia. Aí, quando ele chegou num pé de árvore, que já não tinha como ele dar mais ré, ele arrancou o carro pra frente. E eu falando que ela tava debaixo do carro, gritando desesperada. Ele arrancou o carro pra frente e continuou arrastando ela. Quando eu falei: pensa nos teus filhos, pelo amor de Deus, tem misericórdia. Aí que meio que deu um 'tchan' nele, aí ele.. quando falei dos filhos ele puxou o freio de mão, desceu do carro, voltou pra trás, botou a mão na cabeça, olhou a situação", descreveu a testemunha, emocionada.

Segundo a testemunha, o suspeito tentou entrar no carro novamente, mas foi contido pelos vizinhos. Contudo, familiares de Willames levantaram o carro, tiraram de cima de Andressa e levaram o veículo embora, relatou a testemunha.

Quando o Corpo de Bombeiros chegou, a vítima estava deitada no chão. Tentaram reanimá-la por vários minutos, mas sem sucesso. "Ela não respondia, ela tava sangrando pela boca, o joelho acho que quebrou o joelho, a perna, a virilha, o braço... acredito que a cabeça também, porque ele passou com o carro na cabeça dela", completou a testemunha.

O suspeito ficou alterado e teve que ser contido pelos militares antes da polícia chegar e prendê-lo. Conforme a testemunha, os dois sempre brigavam quando bebiam. Além da criança de 11 anos, a vítima deixou outro filho de 3.

"Falei muitas vezes pra ela... amiga, não dá certo separa, filho não prende ninguém com ninguém não. Vai viver sua vida, você é livre, mas ela não me escutou. Sempre foi bom vizinho, nunca me incomodou, nunca tive discussão com ele. Só ontem que ele mandou eu ficar na minha, mandou eu não me intrometer... não tinha como não intrometer numa situação daquela. Em outras ocasiões eu me continha, ficava no meu canto, porque briga de casal, daqui a pouco se ajeita né... mas dessa vez não foi assim, foi uma fatalidade", completou.

Conforme divulgado, a Delegacia Especializado de Atendimento à Mulher (Deam) deve realizar uma coletiva de imprensa na segunda-feira (21) para esclarecer o ocorrido.