Logomarca

Um jornal a serviço do MS. Desde 2007 | Sábado, 29 de Janeiro de 2022

Policial

Operação apreendeu de documentos a cheques e até relatório da Polícia Federal

Ontem foram cumpridos quatro mandados de prisão e 10 de busca e apreensão, em Dourados, Campo Grande e Vicentina

Campo Grande News

30 de Abril de 2011 - 10:42

Operação Câmara Secreta apreendeu de CDs, a documentos de funcionários da Câmara Municipal, cheques e até uma cópia de relatório da Polícia Federal.

Os detalhes sobre o teor da documentação não foram divulgados,o que deve ocorrer só na próxima semana, em coletiva do Ministério Público Estadual, em Dourados.

No total, foram apreendidos 6 CPUs, 34 lâminas de cheque, 13 CDs e DVDs, centenas de documentos relativos a funcionários da Câmara Municipal de Dourados, como holerites e folhas de pagamento, 3 agendas, 35 extratos e comprovantes bancários, 4 escrituras de imóveis, 6 celulares e chips, 1 cartão bancário, o relatório da Polícia Federal, 1 contrato de empréstimo, vários livros e documentos contábeis.

Ontem foram cumpridos quatro mandados de prisão e 10 de busca e apreensão, em Dourados, Campo Grande e Vicentina. As acusações são contra os ex-vereadores Sidlei Alves e Humberto Teixeira Júnior, mas envolvem os assessores Amilton Salina e Rodrigo Terra, todos foram presos.

Eles são falsificação de documento público, peculato e formação de quadrilha. Os ex-vereadores seriam chefes de quadrilha que usava servidores "laranjas" para desviar recursos do Legislativo e obter empréstimos consignados. Essa doi a terceira prisão dos dois, desde 2009, quando foram pegos pela primeira vez durante a Operação OWari, sobre fraudes em licitações.

Os mandados de busca e apreensão começaram a ser cumpridos, na Câmara Municipal, onde computadores foram recolhidos, na casa de Amilton Salina, de Rodrigo Terra, de Humberto Teixeira Júnior e do ex-presidente da Câmara, Sidlei Alves da Silva).

Depois, os policiais foram até sítio na Linha Ermosa, em Vicentina, propriedade de Humberto Teixeira, onde encontraram 5 armas e 170 munições.

Também houve apreensão nas empresas Contact Contabilidade, AG Contábil, ambas em Dourados, além de Staf Sistemas e Denis da Maia, em Campo Grande.