Logomarca

Um jornal a serviço do MS. Desde 2007 | Sexta, 23 de Outubro de 2020

Policial

Pedreiro manteve em cárcere privado outras duas mulheres

Segundo a delegada, a filha disse ainda que foi abusada sexualmente pelo pedreiro, até que completou 15 anos e fugiu

Correio do Estado

03 de Janeiro de 2014 - 13:33

As investigações de Rosely Molina, titular da Deam (Delegacia Especializada de Atendimento à Mulher), revelaram que o pedreiro Ângelo da Guarda Borges, de 58 anos, manteve outras duas mulheres em cárcere privado, além de Cira Higino Silva, de 44 anos, resgatada pela polícia em dezembro do ano passado, junto com os quatro filhos, de 15, 11, 7 e 5 anos.

De acordo com os filhos do primeiro casamento dele, uma mulher, de 36 anos, e um homem, de 34, a mãe sofreu com a violência por cinco anos e depois abandonou a casa. Segundo a delegada, a filha disse ainda que foi abusada sexualmente pelo pedreiro, até que completou 15 anos e fugiu.

Nesse meio tempo, conforme os relatos, Ângelo teve outro relacionamento e o comportamento foi o mesmo, desta vez por seis anos. “O modus operandi dele é sempre o mesmo”, analisou a delegada. Segundo ela, o acusado continua negando os crimes e o inquérito deverá ser finalizado em 10 dias.