Logomarca

Um jornal a serviço do MS. Desde 2007 | Segunda, 24 de Janeiro de 2022

Policial

Polícia indicia menina e jovem por morte de aluna na porta de escola

A adolescente irá responder pelo ato infracional, cuja pena será de no máximo três anos. Já Dafni, que possui passagens policiais, responderá pelo homicídio qualificado

Campo Grande News

24 de Outubro de 2013 - 10:25

A Polícia Civil concluiu o inquérito que investigava a morte da estudante Luana Vieira Gregório, 15 anos. Ela se envolveu em uma briga e foi esfaqueada pela rival no dia 11 de setembro, na saída da escola, na Vila Bordon, em Campo Grande. Embora Luana tenha provocado a briga, a adolescente de 15 anos e a amiga Dafni Alves de Lima, a Tuty, 18 anos, foram indiciadas, respectivamente, como autora e co-autora do homicídio.

Por parte da Depca (Delegacia Especializada de Proteção à Criança e o Adolescente), responsável por apurar a participação da Dafni, a delegada Regina Márcia Rodrigues diz que “está clara a a participação” de Tuty. “Ela recebeu uma mensagem sobre a briga e poderia ter feito algo, como entrar em contato com a Polícia, avisar a diretora, porém não fez nada e ainda levou um canivete. Para nós da Depca, está clara e bem caracterizada a sua participação", concluiu a delegada.

Por parte da Deaij (Delegacia Especializada de Atendimento à Infância e a Juventude), a delegada Rozeman de Paula, titular da unidade, comenta que está comprovado que a adolescente matou a menina. “Se ela agiu em legítima defesa ou não, cabe ao juiz avaliar, porém tinha um desentendimento com a vítima e a briga culminou na sua morte”, afirma a delegada.

No dia dos fatos, embora não estava em posse de uma arma e não tenha pego das mãos da Dafni, a adolescente encontrou o instrumento no chão e golpeou a vítima. “Ela tinha a intenção de ferir a Luana, tanto que enviou mensagens para a amiga ir ao local”, ressalta a delegada.

A adolescente irá responder pelo ato infracional, cuja pena será de no máximo três anos. Já Dafni, que possui passagens policiais, responderá pelo homicídio qualificado. A pena mínima é de 12 anos de reclusão.