Logomarca

Um jornal a serviço do MS. Desde 2007 | Sexta, 23 de Julho de 2021

Policial

Traficantes negociavam por R$ 11 mil fuzil que seria usado para matar delegado e policiais

A prisão aconteceu no momento em que o dono da arma havia marcado para testar a arma com os traficantes

Midiamax

03 de Novembro de 2014 - 15:25

A Polícia Civil de Costa Rica, vai continuar investigando o possível atentado que um dos delegados da cidade e dois policiais poderiam sofrer após a negociação de um fuzil 7 milímetros por dois traficantes da região.

De acordo com o delegado Hoffman D’Avila Candido e Souza, a delegacia vai investigar se os traficantes planejavam o atentado a mando de facção criminosa. “Não descartamos a hipótese. Vamos continuar a investigação e tentar prender os foragidos e identificar a procedência da arma, que ao que tudo indica, é furtada”, explica.

Na madrugada do domingo (2), Marcio José Ferreira, de 36 anos, que venderia a arma aos traficantes foi preso em flagrante. De acordo com o delegado, a Polícia Civil estava há cerca de um mês realizando diligências na cidade e confirmaram a informação de que um homem estaria negociando a venda da arma por R$ 11 mil.

A prisão aconteceu no momento em que o dono da arma havia marcado para testar a arma com os traficantes. “Fizemos o cerco e os dois traficantes que estavam em motocicletas conseguiram fugir. O dono da arma foi preso depois e conseguimos apreender o fuzil e mais 400 munições intactas”, diz o delegado.

A autoridade policial diz acreditar que o possível atentado seria em retaliação ao trabalho da delegacia no combate ao tráfico de drogas na região, que estaria ‘atrapalhando’ os traficantes. “É uma região de rota para tráfico de drogas, possivelmente seria uma forma de retaliação”, finaliza.