Logomarca

Um jornal a serviço do MS. Desde 2007 | Quarta, 25 de Maio de 2022

Policial

Travesti é assassinada com 15 facadas em bairro de Campo Grande

As circunstâncias do crime estão sendo investigadas. A travesti foi encontrada já esfaqueada e socorristas não conseguiram salvá-la.

Correio do Estado

25 de Novembro de 2015 - 07:16

Travesti foi assassinada com 15 facadas, por volta da 1h desta quarta-feira (25), no Bairro Universitário, região sul de Campo Grande. Ela não portava documentos pessoais e ainda não foi identificada, segundo a polícia.

De acordo com informações do Boletim de Ocorrência, populares que acionaram socorro médico disseram a policiais que a vítima havia sido vista momentos antes na garupa de uma motocicleta, cujo modelo não foi identificado.

As circunstâncias do crime estão sendo investigadas. A travesti foi encontrada já esfaqueada e socorristas não conseguiram salvá-la.

Conforme avaliação de peritos, havia 15 perfurações no corpo, sendo cinco na região do tórax, quatro no lado direito das costas, outras quatro no outro lado, uma na perna esquerda e outra na nuca.

Peritos também avaliaram que a vítima foi golpeada na Rua Elvira Matos de Oliveira, pois no local havia uma faca de serra - sem vestígios de sangue, um chinelo e fone de ouvido. No entanto, ela caiu, possivelmente morta, na esquina com a Rua Usy Nagamine.

Ainda segundo informações policiais, o endereço onde o crime ocorreu é usado como ponto para programas sexuais. Nenhum suspeito foi identificado. O caso foi registrado na delegacia plantonista da Vila Piratininga.

NÚMEROS

Desde o começo do ano, 101 pessoas foram assassinadas em Campo Grande, segundo estatística da Secretaria de Justiça e Segurança Pública (Sejusp). O número representa média de um homicídio a cada três dias.

No Estado, o índice é ainda maior. Foram 451 mortes. Vale destacar que este dado não é exato, visto que crimes de chacina como a última que ocorreu, em Paranhos, são registrados em apenas uma ocorrência policial.