Logomarca

Um jornal a serviço do MS. Desde 2007 | Sexta, 22 de Janeiro de 2021

Policial

Veículos da PMA estão abandonados e não há previsão de conserto

Conforme apurou a reportagem, quatro veículos danificados estão parados no pátio, há mais de um ano

Dourados Agora

14 de Agosto de 2014 - 16:24

Com viaturas sucateadas, a Polícia Militar Ambiental (PMA) encontra dificuldades para atender Dourados e outros 18 municípios que compreendem a base regional. Conforme apurou a reportagem, quatro veículos danificados estão parados no pátio, há mais de um ano.

Para quem precisa do serviço da PMA, muitas vezes, a resposta é sempre a mesma, falta viatura para atender ao pedido naquele momento. A reportagem procurou o comando da PMA em Dourados, mas ninguém quis falar sobre o sucateamento da frota.

No entanto, conforme apurou o Dourados Agora, quatro viaturas estão paradas no pátio do comando há mais de um ano. Todas estão danificadas e não há ordem de conserto por parte do governo do Estado, responsável pela manutenção da PMA. O policiamento ambiental é uma unidade da Polícia Militar especializada em meio ambiente, responsável pela aplicação da legislação ambiental do Estado.

O comando fiscaliza crimes ambientais como caça, pesca de animais silvestres e armamentos para este fim, retirada ilegal de madeira, supressão de mata atlântica, entre tantos outros, sempre com o objetivo de proteger a fauna e a flora. Mas com a frota danificada e um contingente de policiais insuficiente, o Cone Sul do Estado está desassistido. Somente em Dourados, o pedido de resgate de animais é grande, porém, a PMA não consegue atender a todos.

Conforme a reportagem, opera atualmente no comando do município uma caminhonete para fazer a ronda em toda a região sul do Estado e um veículo de passeio descaracterizado para a realização de serviço administrativo.

Responsabilidade

A PMA de Dourados, por ser base regional, é responsável pelo Parque Estadual das Várzeas do Rio Ivinhema, uma importante área ambiental que tem 73.345,15 hectares e está localizado na Bacia do Rio Paraná, abrangendo os municípios de Jateí, Naviraí e Taquarussu.

Também é responsável pelo Rio Amambai, onde há o Salto do Pirapó, local que tem um posto avançado policial, responsável pela fiscalização da pesca predatória.

Conforme já noticiou o Dourados Agora, essas duas importantes áreas sofrem pela falta de assistência. As sub-bases da PMA nessas regiões não têm efetivo suficiente para realizar uma fiscalização eficiente, devido às extensões territoriais das áreas. Somente o Parque Estadual das Várzeas do Rio Ivinhema tem 73 mil hectares.

As únicas sub-bases da PMA que receberam investimentos recentemente foram aquelas instaladas em região de fronteira, como Bela Vista, Corumbá. Por meio do projeto Sistema Integrado de Monitoramento de Fronteiras (Sisfron), do governo federal, algumas unidades ganharam veículos, instrumentos de comunicação e demais equipamentos de tecnologia para proteger a fronteira. Dourados, que concentra a base regional do sul do Estado, ficou de fora.

A reportagem entrou em contato com a assessoria do governo do Estado, que ficou de dar uma resposta sobre o conserto das viaturas danificadas, no entanto, até o fechamento desta edição, não respondeu.