Logomarca

Um jornal a serviço do MS. Desde 2007 | Sexta, 26 de Fevereiro de 2021

Policial

Vítima de homicídio na Vila Nhá-Nhá em Campo Grande já tinha passagens pela polícia

O crime aconteceu em uma casa na Rua Floriano Paula Corrêa. Ele tentou matar um homem e matou um estudante em 2008

Campo Grande News

08 de Outubro de 2014 - 13:25

Jackson Willian da Silva Ozuna, 23 anos, executado de noite de sábado (04) com Robson Gonçalves de Mendonça, 25 anos, na Vila Nhá-Nhá, em Campo Grande, tinha passagens pela polícia. O crime aconteceu em uma casa na Rua Floriano Paula Corrêa. Ele tentou matar um homem e matou um estudante em 2008.

Segundo dados do TJ/MS (Tribunal de Justiça de Mato Grosso do Sul) Jackson era réu em processos de tentativa de homicídio, tráfico de drogas e porte ilegal de arma de fogo, que tramitam na 1ª Vara do Tribunal do Júri, 6ª e 1ª varas criminais da Capital, respectivamente.

Consta em registro policial que em 2010, o rapaz de 23 anos atirou três vezes contra Ricardo Oliveira Rosa, que sobreviveu à tentativa de homicídio. Dois anos antes, Ricardo matou com duas facadas o estudante Jeferson da Silva Chaves, após uma festa de aniversário no Bairro São Conrado.

Crime na Nhá-Nhá – Jackson e Robson foram executados por dois homens que chegaram a casa em uma moto Honda Twister preta. O piloto ficou ao lado de fora, enquanto o passageiro invadiu o local atirando com uma pistola 9 milímetros. O corpo de Jackson apresentava ferimentos por seis tiros. Robson, atingido por oito disparos, morreu debaixo de uma cama. A reportagem não encontrou registros de antecedentes criminais no nome dele. O caso é investigado pela 5ª Delegacia de Polícia da Capital.