Logomarca

Um jornal a serviço do MS. Desde 2007 | Terça, 30 de Novembro de 2021

Política

Ajustes atingem dirigentes partidárias e cortes de gratificações reduzem salário em até 54%

Nesta leva, foi demitida a ex-vereadora Ângela Aparecida Barbosa, ex-presidente do PR que abriu dissidência no partido para apoiar o PSDB, se opondo a aliança com o PMDB.

Flávio Paes/Região News

18 de Julho de 2013 - 09:35

Como parte das medidas de ajuste determinadas pelo prefeito de Sidrolândia, Ari Basso, para reduzir de R$ 4,3 milhões para R$ 3,3 milhões os gastos com pessoal, foi publicada na edição desta quinta-feira do Diário Oficial, exonerações e redução salarial de comissionados que foram candidatos ou são dirigentes de partidos que estiveram no palanque tucano.

Nesta leva, foi demitida a ex-vereadora Ângela Aparecida Barbosa, ex-presidente do PR que abriu dissidência no partido para apoiar o PSDB, se opondo a aliança com o PMDB. Também perdeu o cargo a diretora da Fundação de Cultura, Einy Ferraz Caldas Ferreira, que ganhava R$ 3.213,00. Ela exerceu esta mesma função na administração do ex-prefeito Daltro Fiúza.  Filiada ao PTB, partido que se coligou com os tucanos, teve 17 votos como candidata a vereadora.

O PSL, que controla a Secretaria da Juventude, Esporte e Lazer, também foi atingido pelas medidas de economia.  Gevanildo Dias de Oliveira que era assessor gabinete, com salário de R$ 2.002,90, passará a ganhar R$ 1.1175,00, vencimento 41% menor, referente a sua nova atribuição, como assistente técnico  III. Gevanildo foi candidato a vereador, obtendo 139 votos não se elegeu, mas comprometeu a reeleição do seu irmão, Antonio Galdino, que com 402 votos ficou só na primeira suplência do PDT.

Outros três comissionados também sofreram cortes de salários, Fábio Greffe Silvério, foi exonerado do cargo de diretor de núcleo com salário de R$ 1.483,20 e foi nomeado como assistente técnico, ganhando  R$ 917,80.

Valmor Teles dos Santos, que era assistente técnico III, com salário de R$1.175,10, foi reconduzido para o cargo de assistente técnico IV, ganhando R$ 642,60, salário complementado com abono para atingir o salário mínimo de R$ 678,00. Cristiano Lopes Araújo, indicação do PSDB, foi exonerado da função de diretor de departamento (salário de R$ 3.213,00) para o cargo de diretor de núcleo (salário 53,82% menor, R$ 1.483,20).

Fabrizia Rodrigue Baba, que era coordenadora com salário de R$ 2.170,00, foi exonerada do cargo e nomeada para outra função, diretora de núcleo da Secretaria de Educação, com salário de R$ 1.483,00. José Roberto dos Reis, outro remanescente da administração Daltro Fiuza, foi exonerado. Era secretário de gabinete na Secretaria de Finanças, com salário de R$ 2.570,60.