Logomarca

Um jornal a serviço do MS. Desde 2007 | Sexta, 21 de Junho de 2024

Política

Coligação de Júlio César quer Exército na segurança da eleição em Paranhos

Em documento encaminhado ao juiz, os representantes da coligação argumentam que a medida é necessária para coibir “a compra de votos

Flávio Paes/Região News

22 de Agosto de 2012 - 08:45

A Coligação Renovação e Compromisso,  que disputa a Prefeitura de Paranhos em chapa encabeçada pelos vereadores Júlio Cesar e Donizete, está solicitando ao juiz  titular da 46ª Zona Eleitoral,   Maurício Cleber Santos, que requisite tropas do Exército para garantir a segurança na eleição, com os militares atuando  no monitoramento do transporte de eleitores indígenas das aldeias até os locais de votação.

Em documento encaminhado ao juiz, os representantes da coligação argumentam  que a medida é  necessária   para coibir “a compra de votos, o transporte irregular de moradores do lado paraguaio da fronteira para votar no Brasil, a boca de  urna, entre outros problemas que sabemos serem frequentes neste período e que interferem diretamente no resultado democrático”.

O Exército, conforme a proposta da coligação faria o monitoramento da fronteira e dos acessos às reservas indígenas, com a exigência da apresentação dos títulos de eleitor e dos documentos de identidade  na hora do embarque dos indígenas  que são  transportados das aldeias até os locais de votação. .  
 
Paranhos faz fronteira seca com o Paraguai. Há fazendas que ficam próximas ao perímetro urbano de Ypejhú (Cidade Paraguaia vizinha). Com isto, alguns políticos adotam como prática,  oferecer bebida e alimentação para os  índios em troca do voto, além de contratar motoqueiros para levá-los até as sessões de votação.