Logomarca

Um jornal a serviço do MS. Desde 2007 | Quinta, 2 de Dezembro de 2021

Política

Diante de queda nas pesquisas, Delcídio agora reconhece dificuldade de Dilma

Delcídio também vê complicações em relação ao atual cenário econômico brasileiro. “O governo vai administrar a inflação dentro da banda.

Willams Araújo

30 de Julho de 2013 - 10:55

Pré-candidato do PT à sucessão do governador André Puccinelli (PMDB) em 2014, o senador Delcídio do Amaral agora reconhece o grau de dificuldade da presidente Dilma Rousseff diante dos últimos números da pesquisa divulgada pelo Ibope,  que aponta queda acentuada em sua popularidade.

“A pesquisa do Ibope mostra que a bruxa tá solta pra todo mundo. Por enquanto, não salva ninguém!”,  postou o petista em seu Twitter”, referindo-se a popularidade da presidente que caiu de 55% para 31%, conforme atesta pesquisa da CNI (Confederação Nacional da Indústria) e do Ibope divulgada na última quinta-feira (25).

De acordo com os números, a queda em relação à sondagem anterior, feita em junho, reflete o aumento de preços e as recentes manifestações que tomaram as ruas do país. Há dias, Delcídio se posicionou contrário, também via Twitter, à realização de pesquisas em pleno período de manifestações populares.

“Os dias atuais que o Brasil vive tornam voláteis quaisquer resultados de pesquisas. O clima é de vaca estranhar bezerro!!!”, postou o senador no começo do mês ao desconsiderar levantamento estatístico feito pelo Datafolha no momento de turbulência que o País passou por conta de uma série de manifestações populares.

À época, a pesquisa do Datafolha mostrou que a popularidade da presidente, que tenta se articular para concorrer à reeleição, caiu 27% em três semanas após a onda de protestos que pipocou em todas as regiões do País.

Delcídio também vê complicações em relação ao atual cenário econômico brasileiro.  “O governo vai administrar a inflação dentro da banda. O risco é a balança comercial que depende de terceiros. Aí é que o jogo complica!”, comentou o petista nas redes sociais na última quarta-feira (24).

CONFRONTO

Principal expoente do PT em Mato Grosso do Sul, Delcídio se prepara para enfrentar o PMDB, seu principal adversário político, nas eleições para o governo estadual, embora setores peemedebistas já admitam abrir mão de candidatura própria para apoiar o deputado federal Reinaldo Azambuja (PSDB).

Particularmente, o presidente regional do PMDB, deputado estadual Júnior Mochi, desconhece essa possibilidade.  “Conversei com o governador esta semana, mas ele não deixou transparecer nada nesse sentido”, declarou Mochi na última sexta-feira, ao ser questionado sobre a aliança que colocaria pela primeira vez o PSDB como cabeça de chapa e o PMDB na condição de coadjuvante.

Apesar de defender candidatura própria, a cúpula regional do PMDB ainda está dividida entre apoiar a vice-governadora Simone Tebet ou o ex-prefeito de Campo Grande, Nelsinho Trad, atual secretário Extraordinário de Articulação, de Desenvolvimento Regional e dos Municípios. Os caciques da legenda pretendem anunciar o nome de seu representante em meados de agosto ou setembro.

Enquanto isso, Delcídio tem percorrido vários municípios no Estado visando fortalecer sua candidatura rumo ao Parque dos Poderes. Além de prefeitos, o petista tem a simpatia de vários deputados estaduais, inclusive que integram a base aliada do governo na Assembleia Legislativa.