Logomarca

Um jornal a serviço do MS. Desde 2007 | Segunda, 25 de Outubro de 2021

Política

Fabio Trad pede criação de força tarefa para investigar mortes de jornalistas em MS

Nos últimos 16 anos, nove jornalistas foram executados no Estado sem que os crimes fossem solucionados.

Assessoria

04 de Julho de 2013 - 08:26

O deputado federal Fabio Trad (PMDB-MS) fará nesta quinta-feira, 4, um pronunciamento na Câmara dos Deputados defendendo a criação da 10ª Força Tarefa entre Policia Federal, Polícia Civil, Ministério Público Federal e Ministério Público Estadual com o objetivo de investigar com rigor os assassinatos de jornalistas em Mato Grosso do Sul.

Nos últimos 16 anos, nove jornalistas foram executados no Estado sem que os crimes fossem solucionados. O caso mais recente, em novembro de 2012, foi o do jornalista Eduardo Carvalho, dono do site Última Hora News, assassinado em frente à sua residência, em Campo Grande.

Fabio Trad afirmou que continuará cobrando das autoridades o esclarecimento dos fatos. “Há os que pensam que matar jornalistas é também matar o jornalismo. Há, porém, os que pensam que matar jornalistas reforça a necessidade de legitimarmos um dos mais caros princípios constitucionais insculpidos pela sociedade democrática brasileira em 1988, que é a liberdade de expressão e manifestação do pensamento”, afirmou o deputado sul-mato-grossense.

Segundo Fabio Trad, os crimes são suficientes para alertar o Congresso sobre a necessidade de reagir à altura para que casos como esses não se tornem epidêmicos. “A liberdade de expressão e manifestação do pensamento é, na realidade, a tradução mais fiel do compromisso brasileiro com o Estado Democrático de Direito”, afirmou.

O deputado exortou a sociedade civil organizada a exigir das autoridades constituídas o cabal esclarecimento dos crimes: “São fatos gravíssimos, porque atentam contra valores sem os quais nós, brasileiros, não teremos o direito de expor o nosso pensamento. Não podemos baixar a guarda. Temos que estar atentos, não apenas em defesa do direito de os jornalistas expressarem os seus pensamentos, mas no direito que a sociedade tem de ter uma imprensa livre e democrática”.

Casos em MS

2012

- O jornalista e editor do Jornal da Praça, Paulo Roberto Cardoso Rodrigues, conhecido como Paulo Rocaro, foi morto a tiros em Ponta Porã, a 356 quilômetros da Capital.

2008

- O radialista e vereador Flávio Roberto Godoy, o Ratinho, foi assassinado em Bela Vista, a 322 Km de Campo Grande.

2006

- O radialista Fábio Soares Barbosa, da Amambay FM, foi morto a tiros em Ponta Porã.

- Sócio de Fabio Soares Barbosa, José Késsio Proença Garcia (DJ JK), morreu com onze tiros, em Ponta Porã.

2004

- O jornalista paraguaio Samuel Román foi morto em Coronel Sapucaia, a 400 Km da Capital.

2003

- Foi executado na Capital Edgar Ribeiro Pereira de Oliveira, sócio do jornal “Boca do Povo”.

1997

- O radialista Edgar Lopes Faria, o Escaramuça, da FM Capital, conhecido por denunciar esquemas de corrupção no Estado, foi assassinado.