Logomarca

Um jornal a serviço do MS. Desde 2007 | Terça, 29 de Setembro de 2020

Região

Menores infratores armam motim e 27 fogem de Unei pela porta da frente

Um dos 5 agentes de plantão foi refém dos menores

Correio do Estado

16 de Dezembro de 2019 - 10:47

Madrugada de terror e muita confusão marcaram o início da segunda-feira na Unidade Educacional de Internação (Unei) Dom Bosco localizada na BR 262 nos limites de Campo Grande. Cerca de 27 menores infratores armaram motim e conseguiram fugir da unidade ainda na madrugada. Um dos agentes foi agredido e feito refém pelos menores. 

Segundo informações da polícia, um dos menores foi capturado, e outros 26 ainda estão foragidos.

O presidente do Sindicato dos Trabalhadores e Servidores da Administração do Estado de Mato Grosso do Sul (Sindsad), Silvio Guimarães, disse a reportagem que os menores armaram uma emboscada para o agentes que estavam em menor número do que o habitual.

Ainda segundo o agente, dois internos simularam uma briga dentro do pavilhão e aparentemente um deles teria sido agredido. Dois agentes foi dentro do pavilhão fazer a contenção e foi surpreendido por 25 internos. “Outros internos de outro pavilhão já haviam quebrado as grades e estavam todos juntos, eles foram para cima do agentes e um foi feito refém dentro do alojamento, ele teve ferimentos leves, porque o foco deles era a fuga mesmo”, contou Guimarães ao Correio do Estado.

Segundo Guimarães, os dois pavilhões haviam recebido visita de familiares no domingo, o que pode ter estimulado ainda mais a fuga dos adolescentes. Ao todo 27 internos dos 95 que atualmente ficam na unidade fugiram. Hoje 50% dos internos já são maiores de idade, de acordo com o sindicato.

Outros pontos que são destacados pelo representante dos agentes é a falta da estrutura na unidade. “Ontem o plantão estava com cinco agentes trabalhando, estamos há 4 anos esperando que o Governo lance um concurso, falta efetivo, o horário mais complicado é das 17h até 01h da manhã”, destacou.

O Correio do Estado entrou em contato com o diretor da unidade, Odair Marcelo Gomes Selles, mas até a publicação desta reportagem, não houve retorno.

A Secretaria de Estado de Justiça e Segurança Pública (Sejusp) informou que A Secretaria Municipal de Assistência Social (SAS) informa que já abriu procedimento administrativo para averiguar os fatos, e que a rotina da unidade está sendo restabelecida. A Sejusp ainda informou que na Unei Dom Bosco há 80 vagas, e havia antes da ocorrência 91 adolescentes recolhidos e  conta com 59 servidores.

MOMENTOS DE TENSÃO

Ao Correio do Estado, um dos agentes que trabalhava na noite da fuga relatou os momentos de terror que viveu com os colegas. Por segurança, o agente não terá o nome revelado nesta reportagem. “Eu achei que ia morrer. Eles perceberam que a equipe estava reduzida, vieram para cima da gente, eu consegui correr, mas vieram atrás de mim com um ferro, o meu colega refém levou umas porradas, jogaram alguma coisa nos olhos dele,  detergente eu acho, ficou bem irritado. Eu e mais conseguimos nos escondemos dentro da unidade, depois a gente fugiu também da unidade. Eu fiquei escondido no mato até a polícia chegar”, contou.

Segundo o agente, ao todo são quatro pavilhões e todos do pavilhão B conseguiram fugir. No entanto, mais de 90 adolescentes para poucos funcionários dificultam o trabalho diário dos profissionais. "Foi terrível, eles gritavam ameaçando, é tudo muito omisso, a gente ficou sábado e parte do domingo sem luz e água , cuidar de mais de 90 adolescentes para 5 agentes, não tem estrutura física, não tem equipamento, a comida é ruim, os adolescentes querem fugir de qualquer forma", finalizou.