Logomarca

Um jornal a serviço do MS. Desde 2007 | Sábado, 22 de Janeiro de 2022

Sidrolandia

Bancada do PMDB, PDT e PT se unem em defesa de Daltro Fiuza

Jean lamentou a postura de alguns edis que passam pela cadeira e não deixam nada de produtivo para a sociedade

Marcos Tomé/Região News

30 de Maio de 2011 - 21:52

A sessão da Câmara Municipal de Sidrolândia durou pouco mais de 2 horas nesta segunda-feira, boa parte do tempo os noves vereadores discutiram a decisão judicial envolvendo o transporte escolar do município. Opositores criticaram a administração de Daltro Fiuza (PMDB) e pediram por probidade.

Di Cezar (PSDB) levou a tribuna um camalhaço de papel contendo cerca de mil páginas. Segundo ele, os documentos provariam as irregularidades na aferição das quilometragens das linhas do transporte escolar que puxa diariamente 3.541 alunos da zona rural, percorrendo um total de aproximadamente 8.7 mil km dia.

Diante do exposto o presidente da casa, vereador Jean Nazareth (PT) usou a tribuna e defendeu a tese de que se há irregularidades no campo administrativo, cabe a justiça tomar ciência dos fatos, ouvir as partes envolvidas e julgar o mérito da ação. “Vereador não foi eleito para fazer sensacionalismo, somos um colegiado diplomados para defender os interesses da população”, afirma.

Jean lamentou a postura de alguns edis que passam pela cadeira e não deixam nada de produtivo para a sociedade. “Só ouço vereador falando em fiscalizar numa espécie de perseguição. Se esquecem de apresentar novas ideias e projetos para o desenvolvimento do município”, comenta.

O presidente destacou ainda que o momento vivido pela atual administração é de tranquilidade. "Não vejo o porquê de tanta polemica, a justiça fará seu papel assim como fez no caso do ex-prefeito do PSDB que sofreu ação de improbidade administrativa quando seu nome apareceu na lista do Tribunal de Contas por irregularidades em seus balancetes”, relata.

Foto: Marcos Tomé/Região News

Professor Tadeu, Waldemar Acosta e Jean Nazareth

Bancada do PMDB, PDT e PT se unem em defesa de Daltro Fiuza

Vereador Waldemar Acosta (PDT) e Professor Tadeu (PMDB) defenderam os pilares da administração em resposta a ofensiva de Di Cezar. Para Tadeu que atua no cenário educacional o atual momento reflete uma série de divergências de informações. “Como posso concluir certo ou o errado sem ouvir a outra parte envolvida”, comenta sobre a ação civil pública que o MP move contra o prefeito que ainda não foi chamado para ser ouvido.

Acosta relata que os parlamentares não podem fazer da situação um palco eleitoreiro. “As eleições ocorrerão em outubro de 2012, não podemos antecipar o pleito e usar de artimanhas para travar o desenvolvimento do município”, relata. Waldemar afirmou ainda que não acredita em fraude no transporte escolar e pede explicações sobre os motivos que poderiam ter ocasiona tais divergências.