Logomarca

Um jornal a serviço do MS. Desde 2007 | Quarta, 21 de Abril de 2021

Sidrolandia

Chuva de 80 milímetros em 7 horas ameniza o calor e traz alívio para os produtores de soja

O IBGE projeta para o município uma área plantada de 173 mil hectares, um incremento de 6,79% sobre os 162 mil hectares da safra passada

Flávio Paes/Região News

08 de Novembro de 2014 - 12:00

Depois de um período de precipitações esparsas, que comprometeram o início do plantio  em algumas regiões do município (Piqui, Quebra Coco e Serrote), desde as 4 horas da madrugada de hoje está chovendo de forma torrencial e uniforme em Sidrolândia, o que ameniza o calor, mas, sobretudo, traz alívio  aos produtores de soja. 

Até às 11 horas da manhã deste sábado os pluviômetros registraram 80 milímetros de precipitação, índice abaixo dos 108 milímetros registrados no último dia 1º de outubro, entre as 14h32 e as 17h18. O IBGE projeta para o município uma área plantada de 173 mil hectares, um incremento de 6,79% sobre os 162 mil hectares da safra passada.

“Esta chuva é muito importante neste momento de desenvolvimento da soja. Garante uniformidade na umidade do solo. A falta de chuva fazia com que a planta brotasse pequena”, comenta o produtor rural Enelvo Felini, que na safra  2014/2015 manteve sua área plantada de 900 hectares. Só dentro de mais alguns dias vai avaliar a necessidade de fazer alguns replantios.

Segundo o gerente da Cooperativa LAR, Ederson Mariano, esta chuva é motivo de comemoração para os produtores. “Esta é a primeira chuva que atinge todo o município. Não havia propriamente uma seca, mas ocorria o que se chama de chuva manchada. Estive nesta semana na região do Piqui onde havia produtores que ainda não tinham conseguido sequer iniciar o plantio, por falta de umidade do solo.  Em outras propriedades a chuva foi suficiente, estão com metade da lavoura pronta”, explica.

Este retardamento do plantio pode comprometer o plantio do milho que deve começar em fevereiro. O plantio de soja neste ano começou com atraso porque choveu  pouco no início de outubro.

Quem acabou “premiado” com a chegada da chuva foi o produtor Paulo Stefanello, exatamente ontem às 2 horas terminou de plantar os seus 2 mil hectares de lavoura . “Era uma parte da fazenda com pouca umidade que deixamos por último. Por sorte por volta das 3h30 da madrugada deste sábado começou a chover”.