Logomarca

Um jornal a serviço do MS. Desde 2007 | Segunda, 26 de Outubro de 2020

Sidrolandia

Famílias do Malvinas esperam ansiosas pela inauguração do Residencial Altos da Figueira

A área do Pé de Cedro de onde serão retiradas 51 famílias vai ser transformada numa praça, com pista de caminhão, quadra de vôlei de areia.

Flávio Paes/Região News

18 de Março de 2014 - 09:39

As cinco famílias que ocupam uma área verde na região da Malvinas, fundos do Bairro São Bento, estão ansiosas pela inauguração das 56 casas do Residencial Altos da Figueira. Elas  serão reassentadas junto com as famílias que invadiram um fundo de vale no Bairro Pé de Cedro.

A previsão da Prefeitura é entregar até junho as casas que estão sendo construídas na região do Bairro Santa Marta.  Será o primeiro conjunto habitacional do programa Minha Casa, Minha Vida da cidade, entregue com toda infraestrutura, água, luz, asfalto, drenagem, meio-fio, além de um centro de educação infantil.

”É muito sofrimento. A cada chuva, inunda o barraco inteiro, a gente perde tudo e na última chuva a enxurrada não levou a gente, porque a Prefeitura colocou pedras na rua”, comenta dona Helena Maria da Conceição, que há mais de seis anos se mudou com o marido para a área. Lá não há água encanada e o risco de contaminação é alto porque a poço tem a mesma profundidade da fossa (1,5 metro).

“Na época da política colocaram energia elétrica”, conta a moradora. Mesmo com todas as dificuldades ela prefere continuar no barraco porque o salário que o marido recebe da Seara, em torno de R$ 800,00, é pouco para pagar aluguel, luz, água e fazer as compras do mês.

Ela e a vizinha, dona Maria Helena dos Santos, acham até bom que a viela de acesso aos barros está praticamente intransitável. “A enxurrada abriu esta buraqueira, mas pelo menos este pessoal que vinha aqui fumar maconha não apareceu mais”, relata.  Admite que além do consumo de drogas, o local serviu para marginais esconderam motocicletas e bicicletas roubadas. “A gente vê estas coisas erradas e fica quieto”, conta.

Há um ano Maria Helena ficou viúva depois que seu irmão saiu em sua defesa e matou a facadas seu ex-marido que a agrediu várias vezes.  “Ele está preso, embora tenha agido para me defender”, garante.  Célio dos Santos matou o cunhado Jonas Nantes, quando ele tentava matar a facadas sua irmã. “Não foi a primeira vez. Ele não aceitava a separação e me batia. Fique vários dias internada no Hospital Universitário em Campo Grande porque ele me meteu uma facada nas costas”.

Destinação

A Prefeitura ainda não tem uma destinação para área verde na região das Malvinas de onde as cinco famílias serão removidas.  Nesta etapa do projeto não há recursos para qualquer intervenção.  A área do Pé de Cedro de onde serão retiradas 51 famílias vai ser transformada numa praça, com pista de caminhão, quadra de vôlei de areia. Só serão beneficiadas com casas quem estava lá e foi cadastrado até o dia 13 de março de 2013.  As casas que foram construídas depois deste prazo serão demolidas no dia seguinte a entrega do residencial.