Logomarca

Um jornal a serviço do MS. Desde 2007 | Domingo, 24 de Outubro de 2021

Sidrolandia

Famílias não resistem à reintegração e saem tranquilamente de fazenda

De acordo com o gerente da fazenda, Jean Carlos Machado, a previsão é de que até as 17h as famílias, que estão no local há 4 anos, retirem os pertences da propriedade.

Campo Grande News

10 de Julho de 2013 - 16:00

Cerca de 5 famílias saem tranquilamente durante a reintegração de posse da Fazenda Figueira, em Jardim, que pertence ao empresário Jamil Name Filho. Desde as 6h desta quarta-feira (10) cerca de 40 policiais, entre a Polícia Militar de Jardim e Cigcoe (Companhia Independente de Gerenciamento de Crises e Operações Especiais) estão no local cumprindo a decisão judicial.

O tenente da Cigcoe Rigoberto Rocha disse que as famílias locaram caminhões e estão fazendo a mudança. De acordo com o gerente da fazenda, Jean Carlos Machado, a previsão é de que até as 17h as famílias, que estão no local há 4 anos, retirem os pertences da propriedade.

“Acredito que não vai dar para ser retirado todo rebanho em um dia porque precisa de um documento da Iagro (Departamento de Inspeção e Defesa Agropecuária de MS) para fazer o deslocamento”, diz Jean, acrescentando que na propriedade há pelo menos 1500 cabeças de gado.

A Fazenda Figueira, de 9,5 mil hectares, já pertenceu ao Reverendo Moon, mas há cerca de 5 anos foi vendida. A avaliação das terras, levando em conta um custo médio de 8 mil por hectare, é de R$ 76 milhões.

Segundo Jamil Name, que é pai do proprietário, do outro lado da ação judicial que provocou a reintegração está o Odacir Antônio Dametto. No site do TJ MS, Dametto tem condenação por tráfico de drogas. O mesmo ocorre na Justiça do Rio de Janeiro.

Dametto também era conhecido como Rei da Soja no Paraguai e morreu de ataque cardíaco em Pedro Juan Caballero, na fronteira com Mato Grosso do Sul, em maio do ano passado, dentro de um motel.