Logomarca

Um jornal a serviço do MS. Desde 2007 | Sábado, 4 de Dezembro de 2021

Sidrolandia

Funasa de MS segue debatendo projeto de pesquisa sobre catadores de recicláveis

No último encontro, realizado dia 12.07, o grupo se reuniu no Laboratório de Análises Clínicas (LAC) da UFMS em Campo Grande

Assessoria

29 de Julho de 2013 - 09:16

Prosseguindo com as atividades do grupo de pesquisa, a Fundação Nacional de Saúde de Mato Grosso do Sul participou de mais uma reunião para o desenvolvimento do projeto piloto voltado aos catadores de materiais recicláveis, em Campo Grande. Em parceria com a Universidade Federal de Mato Grosso do Sul (UFMS) e Fundação Oswaldo Cruz, o trabalho será desenvolvido com o intuito de prestar apoio social e profissional visando a qualidade de vida e saúde desses trabalhadores.

No último encontro, realizado dia 12.07, o grupo se reuniu no Laboratório de Análises Clínicas (LAC) da UFMS em Campo Grande. Com a participação do técnico do Serviço de Saúde Ambiental (Sesam) da Funasa de MS, Gregório Correa, o grupo pretende desenvolver as pesquisas dentro do limite da realidade dos recicladores. As reuniões visam criar um diagnóstico para que seja possível pleitear recursos da Funasa para o desenvolvimento do projeto.

Foi discutida a composição do relatório de estudos das condições de vida e saúde dos catadores de materiais recicláveis da Capital, que tem como objetivo elaborar um projeto de estudo aspectos clínicos, epidemiológicos de agravos dos catadores. Para realizar este trabalho, será necessário descrever um perfil sóciodemográfico dos recicladores de Campo Grande, identificar condições de moradia, saúde, segurança e ambiente de trabalho.

A questão que mais preocupa os técnicos da UFMS que participam do grupo são as condições de saúde desses trabalhadores, e as doenças às quais eles possam estar expostos. Segundo o técnico do Sesam, Gregório Correa, a Universidade não tem conhecimento da existência de pesquisas neste sentido, identificar fatores de risco associados à população estudada.

O próximo encontro do grupo de pesquisa acontece em agosto, e segundo o superintendente da Funasa de MS, Pedro Teruel, o trabalho é interessante para que a Funasa também tenha dados sociais desses catadores. “Nas visitas que já fizemos conhecemos o seu sistema de trabalho e necessidades operacionais das cooperativas, porém alguns outros temas foram pouco debatidos, como essa questão das necessidades sociais. O envolvimento da Funasa de MS neste trabalho de pesquisa favorece a estruturação de novos projetos para essas cooperativas, garantindo cada vez mais eficiência nos trabalhos dessa categoria”.