Logomarca

Um jornal a serviço do MS. Desde 2007 | Sábado, 15 de Maio de 2021

Sidrolandia

Furar o sinal: ato imprudente com sérias consequências

Dados do Departamento Estadual de Trânsito (Detran-MS) indicam a redução do número de infrações por avançar o sinal vermelho.

Notícias MS

13 de Janeiro de 2017 - 16:27

A sinalização do trânsito é responsável por orientar, informar, regular e controlar a circulação de pedestres e veículos nas ruas e rodovias.  No caso específico dos semáforos, a função é de controlar a passagem de veículos e pessoas.

Porém, o que se identifica é que muitos aproveitam a mudança de semáforo de verde para o amarelo e aceleram o veículo para não precisar parar no sinal vermelho, o que pode resultar em colisões e atropelamentos.

De acordo com o Código de Trânsito Brasileiro (CTB) o sinal amarelo indica atenção, mostrando a iminência da parada obrigatória, para que assim o motorista evite freadas bruscas e diminua a chance de colisão traseira.

Dados do Departamento Estadual de Trânsito (Detran-MS) indicam a redução do número de infrações por avançar o sinal vermelho. Em 2015 no estado foram registradas 43.111 infrações. Já em 2016 um total de 21.482 e em 2017 até sexta-feira (13) 160. Em Campo Grande também houve uma redução, em 2015 –  39.878, em 2016 – 13.863 e em 2017 – 92 infrações.

Para o comandante do Batalhão de Polícia Militar de Trânsito (BpTran) de Campo Grande, Tenente Coronel Renato Tolentino, apesar da redução ainda há muito que se fazer. “Os órgãos de fiscalização devem se integrar cada vez mais, para uma fiscalização mais efetiva. O que observamos e estamos monitorando, é que em alguns casos veículos vendidos e não transferidos ou alienados cometem infrações, justamente por estarem em nome de terceiros”, afirma Tolentino.

O Detran-MS realiza constantemente ações educativas abrangendo todos os envolvidos no trânsito, que tem o papel juntamente com a consciência do motorista de fazer um trânsito melhor e mais seguro. Dados a nível mundial indicam que a maioria dos acidentes estão relacionados a falhas humanas. “Por mais intensas que sejam as ações de educação para o trânsito, a mudança de comportamento tem que partir de cada um. O condutor apressado, tem que levar em consideração que furar o sinal coloca em risco a sua vida e das demais pessoas”, afirma Gerson Claro, diretor presidente do Detran-MS.