Logomarca

Um jornal a serviço do MS. Desde 2007 | Sábado, 23 de Janeiro de 2021

Sidrolandia

Governo assina protocolo para potencializar a ovinocaprinocultura no Estado

Segundo coordenador de Pecuária da Seprotur, Rubens Flávio de Melo, são 135 produtores cadastrados e a produção via PDOA é de 150 a 200 cabeças por semana

Notícias MS

10 de Fevereiro de 2014 - 16:39

Com o objetivo de organizar os elos da cadeia produtiva da ovinocaprinocultura de corte no Estado e com vistas a otimizar o sistema de produção e de comercialização de cordeiros de qualidade, o Governo do Estado, através da Secretaria de Estado de Desenvolvimento Agrário, da Produção, da Indústria, do Comércio e do Turismo (Seprotur) assinou na manhã de hoje (10) um protocolo de intenções com a Fazenda Soberana, produtora de ovinos localizada na região das Três Barras, na Capital. O ato aconteceu na Seprotur.

De acordo com a titular da Secretaria, Tereza Cristina Correa da Costa, a cadeia de ovinocaprinocultura é de extrema importância para o pequeno e o médio produtor e o projeto vai ao encontro da profissionalização do setor. “Esta parceria é ótima e essa cadeia precisa deixar de ser amadora e passar a ser profissional. Esta é a proposta, por isso o Governo está apoiando e se empenhando neste projeto”, disse.

Segundo o sócio proprietário da Fazenda Soberana, Paulo Augusto Franzine, com o protocolo de intenções a Fazenda Soberana vai oferecer tecnologia para a produção de ovinos. “Tecnologia não se traduz apenas em equipamentos, mas também em forma de criação, metodologia e através do fornecimento de qualidade de produtos da ovinocultura que proporcionem velocidade de produção e padronização. A Fazenda Soberana estará de portas abertas para os pequenos produtores e nosso objetivo é começar pela região da MS-040, que mais tarde queremos transformar em um pólo produtivo e numa rota de cordeiros. Nossa intenção é fazer com que as pequenas propriedades produzam cordeiros de qualidade como o mesmo padrão da Soberana, que é da raça dorper. Eles poderão adquirir esses reprodutores em permuta de produto da sua produção, sem financiamento ou dinheiro diretamente”, explicou.

Ainda de acordo com Franzine, os produtos serão comercializados de forma integrada, uma vez que o grande problema na cadeia produtiva de ovinos tem sido o escoamento da produção.

“Existem caminhões que hoje atravessam estados para buscar cargas de 200 cordeiros e a maioria dos pequenos produtores não tem o conhecimento e o contato de como chegar aos frigoríficos, o que possibilita a entrada dos atravessadores e desfavorece quem tem o real comprometimento com a criação. Enfim, queremos atrair os pequenos criadores e torná-los os vendedores finais para o frigorífico e se possível vamos estruturar um Pdoa [Propriedade de Descanso de Ovinos para Abate]”, contou.

O Pdoa é o último avanço no setor de ovinos, trata-se de um projeto inédito no Brasil e criado em Mato Grosso do Sul que visa suprir as necessidades do mercado de ovinos e agilizar a logística do comércio. Segundo a coordenadora estadual do Programa Nacional de Sanidade dos Caprinos e Ovinos, Suzana Ortega, os animais prontos para o abate e com a guia de trânsito animal (GTA) são conduzidos para uma propriedade onde ficam no máximo três dias. “Lá espera-se juntar todas as cargas para embarcar para o frigorífico, o que facilita a logística”, explicou.

Cordeiro de Qualidade

Atualmente para incentivar a produção de ovinos em Mato Grosso do Sul, o estado conta com o subprograma Cordeiro de Qualidade que concede um incentivo fiscal de até 50% do ICMS. Segundo coordenador de Pecuária da Seprotur, Rubens Flávio de Melo, são 135 produtores cadastrados e a produção via PDOA é de 150 a 200 cabeças por semana.

“Nosso Estado está em 4º lugar no ranking nacional em número de cabeças abatidas, foram 63.411 em 2013. Acreditamos ainda mais no avanço da ovinocultura com o ingresso da Soberana na cadeia produtiva”, finalizou.