Logomarca

Um jornal a serviço do MS. Desde 2007 | Sexta, 7 de Maio de 2021

Sidrolandia

Homem morre 4 dias após sair de hospital e família suspeita de negligência

Luiz, 50 anos, ficou uma semana internado e havia tido grave diagnóstico.

Correio do Estado

23 de Dezembro de 2016 - 13:34

Polícia Civil abriu inquérito para investigar a morte de Luiz Martins da Silva, 50 anos, ocorrida por volta das 5h30min de hoje, na casa da mãe, localizada na Rua Dromedário, no Bairro Estrela Dalva, em Campo Grande.

Em decorrência de acidente de trânsito, Luiz havia sido internado na Santa Casa, no dia 12 deste mês e liberado uma semana depois. Conforme denúncia, ele foi diagnosticado com fraturas e perfuração de pulmão. No período em que esteve no hospital, precisou respirar com ajuda de aparelhos e recebeu alta médica ainda com dificuldades na respiração.

Em Boletim de Ocorrência, filha de Luiz contou que no dia do acidente, o pai foi socorrido por bombeiros e levado à Santa Casa, onde permaneceu internado até segunda-feira passada. Liberado por médicos, foi para a casa da mãe e por volta das 5h20min de hoje morreu depois de agonizar com problemas na respiração. Equipe do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) chegou a ser acionada, mas constatou o óbito ainda no local.

Para a filha de Luiz, houve negligência médica. Ela declarou que no período de internação o pai havia sido diagnosticado como fraturas na perna esquerda e em cinco vértebras, além de perfuração de pulmão. Enquanto recebia assistência na unidade hospitalar, o paciente usou dreno e aparelho que auxiliava na respiração.

No ato da liberação, Luiz respirava ainda com dificuldades e saiu com receituário médico, conforme declaração da filha. Para ela, diante do quadro de saúde, o pai deveria ter continuado sob cuidados de especialistas. O caso foi denunciado à polícia e é investigado.

OUTRO LADO

Reportagem entrou em contato com a assessoria de imprensa hospital que se manifestou por meio de nota: " Em contato com o médico responsável pela alta, o mesmo informou que foram seguidos todos os protocolos médicos indicados para o caso durante a internação e que, no ato da alta, a mesma ocorreu com normalidade como qualquer outra. Foram prescritos para o paciente a medicação a ser tomada, bem como os retornos médicos necessários. Caso a família suspeite de qualquer responsabilidade de quem quer que seja, deve solicitar o Serviço de Verificação de Óbito para realização de necropsia por parte do IMOL".