Logomarca

Um jornal a serviço do MS. Desde 2007 | Sexta, 23 de Outubro de 2020

Sidrolandia

Maioria das rodovias de MS está em situação regular, diz CNT

De acordo com avaliação geral dos pesquisadores da CNT, dos 4.272 quilômetros percorridos no Estado 62,7% precisam de melhorias e 32,7% estão em boa situação.

Campo Grande News

25 de Outubro de 2012 - 15:00

Maioria das rodovias em Mato Grosso do Sul está em situação regular. É o que aponta levantamento da CNT (Confederação Nacional do Transporte) divulgado nessa quarta-feira.

De acordo com avaliação geral dos pesquisadores da CNT, dos 4.272 quilômetros percorridos no Estado 62,7% precisam de melhorias e 32,7% estão em boa situação.

Do total que precisa de melhorias, 45,2% está em situação regular; 15,7% ruim e 1,8% péssimo. Dos 1.594 quilômetros em boa situação, 7,8% é apontado como ótimo e 29,5% com bom.

 A CNT coloca como situação crítica cinco pontos de erosão. No período avaliado, não foram encontradas quedas de barreira, pontes caídas e nem buracos grandes.

Asfalto – Sobre a pavimentação das vias do Estado, a CNT avaliou como ótimo. Segundo o levantamento, são 2.227 quilômetros nesta condição, o que representa 52,1%.

O asfalto está em situação regular em 1.759 quilômetros de rodovias, 41,2% do total.

Sinalização – Neste item, a CNT aponta que é preciso melhorias. A maioria das rodovias– 63,1%- está entre regular, ruim e péssimo.

A sinalização classificada como ótima e boa está em 1.578 quilômetros de rodovias, o que representa 36,9%.

 Brasil  - De acordo com o levantamento, dos 95.707 quilômetros avaliados, 33,4% foram considerados em situação regular, 20,3%, ruim e 9%, péssima. Outros 27,4% estão em bom estado e 9,9% em ótimo. Se comparados com os dados da pesquisa de 2011, houve piora na qualidade das estradas nacionais. No ano passado, 57,4% foram classificadas como regulares, ruins ou péssimas, contra 62,7% este ano.

Para fazer a análise, 17 equipes de pesquisadores da CNT percorreram todas as rodovias federais e as rodovias estaduais mais relevantes do Brasil, ampliando em 2.960 km a extensão avaliada na comparação com o que foi feito em 2011. Os aspectos que embasam a pesquisa são a qualidade de pavimentação, a sinalização e a geometria da via.

Para o presidente da CNT, senador Clésio Andrade, "os resultados apresentados neste relatório subsidiam a elaboração de políticas públicas de manutenção de rodovias pelos governos federal, estaduais e municipais, assim como a criação de marcos legais que traduzam as necessidades de uma infraestrutura rodoviária condizente com os desejos de progresso do Brasil".

Se em 2011 a sinalização era considerada ótima ou boa em 43,1% das rodovias, esse número foi reduzido para 33,8% este ano. A geometria da via também registrou queda, embora de menor percentual. Em ótimo ou bom  estado eram 23,2% do total, agora são 22,6%. O único quesito com melhorias foi o de pavimento. As rodovias avaliadas como ótimas ou boas neste ponto passaram de 52,1% do total para 54,1% nesta edição.

Ainda sobre a sinalização, o levantamento mostra que ela é satisfatória (ótima ou boa) em 33,7% da extensão avaliada, sendo que 60,6% dela conta com acostamento e 88,1% tem predominância de pista simples de mão dupla.