Logomarca

Um jornal a serviço do MS. Desde 2007 | Quarta, 27 de Janeiro de 2021

Sidrolandia

Menino picado por cobra já fez 2 cirurgias e mãe pede doação de cadeira de rodas

Além do tratamento no hospital, a preocupação da mãe é com a volta do filho para casa depois que sair do hospital

Midiamax

12 de Março de 2014 - 16:24

O menino de nove anos picado por uma cobra no Assentamento Estrela, a 50 quilômetros de Campo Grande, já passou por duas cirurgias no pé. Segundo a mãe do garoto, Rosania Marques, 32 anos, o filho passou por cirurgias para retirar o tecido do pé e da perna que foi necrosado por causa da picada.

“Ele está bem. Não está mais tendo febre e tirou toda a infecção da perna. Agora tem que cuidar para não infeccionar”, diz. Mesmo melhorando, ainda não há previsão de alta para o garoto, que ainda deve passar por cirurgias plásticas no pé.

Rosania é mãe de outras três crianças e conta que a vida mudou totalmente após o filho ser picado por uma cobra, e acabar recebendo tratamento para uma ferroada de marimbondo. Ela, que mora com os filhos e o marido em um assentamento, teve que vir para Campo grande para acompanhar o tratamento do filho. “Fico aqui com a bebê de um ano e quatro meses e os dois meninos ficam com o pai que teve que parar de trabalhar para cuidar deles”, diz.

Além do tratamento no hospital, a preocupação da mãe é com a volta do filho para casa depois que sair do hospital. “A gente morra em barraco de lona e vou precisar de uma cadeira de rodas, pois o médico já disse que ele vai ficar um bom tempo sem colocar o pé no chão”, relata.

A mãe pede para quem puder contribuir com uma cadeira de rodas ou com a doação de madeirite, já que a família irá tentar construir um cômodo mais fresco e com maior acessibilidade para a recuperação do menino ligue para o telefone: 9309-6348.

Picada – No dia 1º deste mês, o menino pescava com colegas e quando voltava para casa foi picado por um bicho. Ele achou que poderia ter sido um marimbondo, mas à noite o garoto não dormiu por sentir muitas dores no pé e então a mãe resolveu levá-lo ao posto de saúde para consulta.

No Unidade Básica de Saúde (UBS) o médico que o atendeu confundiu a picada de cobra com ferroada de inseto e a criança foi parar no CTI do Hospital Regional Rosa Pedrossian. Ele saiu da CTI e agora se recupera na ala de pediatria do hospital