Logomarca

Um jornal a serviço do MS. Desde 2007 | Terça, 17 de Maio de 2022

Sidrolandia

Moradores de casas populares em MS têm contas de água de até R$ 2 mil

Em algumas residências, o hidrômetro gira mesmo sem ninguém em casa. Construtora diz que vai mandar equipe técnica para identificar problemas.

G1 MS

21 de Outubro de 2015 - 17:05

Moradores do Residencial Celina Jalad, em Campo Grande, reclamam da conta de água que está alta. Em alguns casos, o valor chega a R$ 2 mil. O hidrômetro de algumas casas registra consumo mesmo com a residência vazia.

A construtora do residencial informou que vai encaminhar uma equipe técnica para identificar a origem de possíveis vazamentos. Se for comprovado a responsabilidade, a empresa disse que vai ressarcir os moradores.

A dona de casa Keisse Anne Furtado estava com problema na boia da caixa, por isso o relógio rodava sem consumo. Ela não consegue entender porque gastou mais que o consumo mínimo que é de 10 m³.

“”, contou Keisse.

Outro problema encontrado pela dona de casa é o fato do hidrômetro rodar sem que ninguém use água dentro de casa. Apesar de ser uma velocidade baixa, a contabilidade é o dia todo. O consumo de Keisse é o mesmo da maioria ´dos outros moradores. Com a conta de água variando de R$ 100 a R$ 200.

Mas tem casos que intrigam. É o caso da ajudante de cozinha Maria de Oliveira que tem as contas com vencimento outubro e novembro com o mesmo valor. Ou da Gladiz Barrios Fernandes que não consegue imaginar como a conta passou de R$ 2 mil. E não foi apenas uma vez que ela recebeu a conta nesse valor e pouco mais de um mês que ela mora na casa popular.

A gerente comercial da Águas Guariroba explicou que se o hidrômetro está rodando sozinho, pode ser algum tipo de vazamento. “ A responsabilidade da concessionária é até o cavalete”, afirmou.

Tarifa Social

Tem direito à tarifa social quem possui renda familiar não superior a um salário mínimo e ser proprietário de um único imóvel destinado exclusivamente à moradia da família, desde que isento do pagamento do Imposto Predial e Territorial Urbano (IPTU).

O consumidor também tem de ser monofásico de energia elétrica e o consumo não poderá ultrapassar 100 Kwh/mês. O consumo de água não pode ser mais do que 20 m³/mês.

Anualmente, odos os beneficiados com a tarifa social deverão comparecer na concessionária para renovar o cadastramento. Deve ser apresentada a mesma documentação para comprovar a continuidade do enquadramento nas condições exigidas.