Logomarca

Um jornal a serviço do MS. Desde 2007 | Quarta, 1 de Dezembro de 2021

Sidrolandia

Muricy detona preparo e aposta em tática para suprir carência física

Treinador diz ser impossível recuperar condicionamento do grupo neste ano e tenta montar Tricolor mais fechado para conseguir bons resultados

Globo Esporte.com

27 de Setembro de 2013 - 10:55

Muricy Ramalho elegeu o condicionamento físico como o grande vilão para a má fase do São Paulo. Sincero, o treinador admite que não há solução para o problema. Nada poderá ser feito para melhorar o preparo dos jogadores até o fim do ano, justamente em meio à luta pra fugir do rebaixamento no Campeonato Brasileiro. O remédio será fortalecer a equipe taticamente e evitar buracos que evidenciem ainda mais as pernas fracas do Tricolor.

– Não dá para resolver. É impossível resolver. Vamos juntar bem as três linhas do time para não desgastar os jogadores. Com menos espaço, você corre menos. Não estou querendo culpar ninguém, mas está claro. O time começa muito forte e depois tem uma caída – lamentou.

O treinador culpou o preparo ruim pelo empate por 1 a 1 contra o Universidad Católica, quinta-feira, no Morumbi, pelas oitavas de final da Copa Sul-Americana (veja no vídeo acima). O Tricolor teve um bom início de partida, criou chances e abriu o placar com Luis Fabiano. Os chilenos empataram ainda na etapa inicial. Na parte final, os paulistas caíram de rendimento e quase não pressionaram.

Atuações do São Paulo

– Os jogadores estão confiantes no que fazem. Não podemos oscilar tanto assim. Não podemos fazer um tempo bom e no outro cair demais. Não é mental. É físico. Isso está claro. Marcamos bem, mas não temos força para chegar ao gol adversário – ressaltou.

As críticas caem em Alexandre Lopes, preparador contratado com Ney Franco. Ele foi o responsável pelo trabalho na pré-temporada e acabou sendo demitido na troca de comando. Gilvan dos Santos chegou com Paulo Autuori, mas também saiu com a mudança de treinador.

Zé Mario Campeiz, que era o segundo no departamento durante a passagem de Ney Franco, foi demitido pouco antes da saída do técnico. No entanto, retornou ao Tricolor a pedido de Muricy Ramalho. Ele é auxiliado agora por Sérgio Rocha, membro da comissão permanente do São Paulo.

– Não tem milagre. Precisamos recuperar os jogadores. A condição física não tem como. Vamos melhorar o posicionamento para o time ficar mais junto.