Logomarca

Um jornal a serviço do MS. Desde 2007 | Quarta, 27 de Outubro de 2021

Sidrolandia

Prefeitura abandona cemitério e funerária reserva capelas mortuárias por até R$15 mil

As unidades do condomínio póstumo são vendidas por valores que oscilam entre R$ 12 e R$ 15 mil por uma construção de 4 metros quadrados.

Flávio Paes/Região News

12 de Julho de 2013 - 07:37

Foto: Marcos Tomé/Região News

Prefeitura abandona cemitério e funerária reserva capelas mortuárias por até R$15 mil

Após década de abandono por parte da Prefeitura, Cemitério São Sebastião de Sidrolândia, transformou-se num território livre para as empresas funerárias que atuam na cidade. Uma delas,  a Pax Bom Jesus, numa ousada estratégia comercial, com o aval do poder público municipal, construiu e colocou a venda várias capelas mortuárias.

Prefeitura abandona cemitério e funerária reserva capelas mortuárias por até R$15 mil

As unidades do condomínio póstumo são vendidas por valores que oscilam  entre R$ 12 e R$ 15 mil por uma construção de 4 metros quadrados. A aquisição garante ao comprador  o direito de escolher a exata localização da sua futura (e definitiva) morada. A compra antecipada de capelas, é uma forma também de cumprir o desejo de familiares que pretendem ser sepultados ao lado dos seus entes queridos (maridos, filhos, mulheres) que se foram, ou quando isto acontecer. 

Recentemente o genro de uma senhora idosa (a pedido dela) pagou R$ 3 mil para ter o direito de ser enterrado ao lado do marido já falecido. O preço inclui a construção de uma capela com menores dimensões do que aquelas mais caras. Para quem tem um orçamento mais modesto, também é possível “reservar”  uma carneira, a sepultura, escolhendo o local do cemitério que mais agrade ao cliente, embora o espaço seja público, não da funerária.

Quem não é sócio, paga R$ 800,00, os sócios  um pouco menos, R$ 600,00.  Segundo a diretora da Pax Brasil Med, Rosangela Cristina, este preço embute a compra do material (300 tijolos, cimento) e a mão de obra  do pedreiro. Ela garante que não adota política de “reservas” de túmulos, mas mantém duas ou três carneiras prontas, para atender as emergências.

Prefeitura abandona cemitério e funerária reserva capelas mortuárias por até R$15 milOs representantes das duas empresas garantem que os clientes não são obrigados a comprar os túmulos prontos.  Os parentes do morto  têm a opção de construir as carneiras com seus próprios recursos sem interferência das funerárias. Segundo a representante da Pax Brasil Med, há muito tempo a Prefeitura abandonou o cemitério.

O Poder Público Municipal mantém três funcionários que fazem a limpeza. À noite não tem vigia e são comuns os casos de vândalos que violam os túmulos para roubar. Falta um cadastramento dos túmulos que facilite a localização nos dias de visitação. “Temos só o controle dos nossos clientes”, informa.  Rosangela Cristina pretende sugerir ao prefeito Ari Basso, que indique um funcionário para administrar o cemitério.