Logomarca

Um jornal a serviço do MS. Desde 2007 | Sábado, 18 de Setembro de 2021

Sidrolandia

Projeto esportivo apadrinhado por Peres e Marcio Fernandes atende 400 estudantes

As aulas são ministradas uma vez por semana, sempre às sextas-feiras, por professores habilitados (faixa preta em judô) de Campo Grande.

Flávio Paes/Região News

12 de Setembro de 2013 - 11:45

Foto: Marcos Tomé/Região News

Projeto esportivo apadrinhado por Peres e Marcio Fernandes atende 400 estudantes

Deputado Marcio Fernandes e presidente da Câmara de Sidrolândia Ilson Peres

Já no segundo ano e agora levado a duas escolas municipais (Pedro Aleixo e Natalia Morais de Oliveira), além da Escola Estadual Catarina de Abreu onde foi implantado pioneiramente em 2012, o Projeto Judô Nota Dez (antigo Esperança Olímpica) produz resultados significaitivos em termos de melhoria do rendimento escolar dos alunos, redução das faltas e maior disciplina.


Em Sidrolândia a iniciativa é apadrinhada pelo presidente da Câmara, Ilson Peres e o deputado Marcio Fernandes, que o desenvolve em outras 25 cidades, beneficiando 3 mil jovens. Na próxima edição dos jogos escolares em novembro a modalidade será inserida na competição. Os treinos são sempre no contra turno da aula: quem estuda à tarde vai de manhã e os estudantes do período matutino, vão à tarde.


Projeto esportivo apadrinhado por Peres e Marcio Fernandes atende 400 estudantesAs aulas são ministradas uma vez por semana, sempre às sextas-feiras, por professores  (faixa preta em judô) de Campo Grande. Na cidade não há profissionais habilitados para desempenhar tal função. Depois da entrega há duas semanas de 300 quimonos aos participantes aumentou o interesse dos alunos, ao ponto  de ter se formado uma fila de espera de 100 alunos, entre 7 e 15 anos, que desejam seguir o exemplo dos seus colegas de escola.


“No começo eu fiquei até receosa de deixar que participasse. Meu medo é que se machucasse. Acabei concordando e depois que passou participar do projeto, o Marcos Vinicius, melhorou muito, fico menos agitado”, relata dona Alzira Romero, que traz o neto para o treino e acompanha tudo de longe, sentada na arquibancada da quadra coberta da Escola Pedro Aleixo.


Segundo ela o entusiasmo do neto, de 10 anos, aumentou depois que recebeu o quimono. “Na sexta-feira, não preciso nem chamar. Ele pula cedo da cama e fica contando os minutos para chegar às 7 e meia da manhã, quando saio de casa para trazê-lo até a escola”. Os irmãos João Victor (11 anos) e Paulo Eduardo (7 anos)  embora ainda não tenham recebido seus quimonos não perderam a modalidade.


“Eles se apaixonaram pelo judô. Tanto assim, que na semana passada, não saíram de frente da televisão para acompanhar todas as lutas do campeonato mundial da modalidade disputado no Rio de Janeiro”, conta a mãe dos  garotos, Adriana Alves Pereira, que como ex-atleta (foi vice-campeã estadual de vôlei de areia e praticou atletismo) não hesitou em atender ao pedido dos filhos de participar do projeto.

“O esporte é importante para criança se socializar. Ter noções de limites e disciplina, além de despertar nelas o espírito competitivo, que também é saudável”.  No Pedro Aleixo são aproximadamente 60 alunos. Muitos pais demonstraram orgulho pelos resultados obtidos através do projeto, “Tenho dois filhos que estão no projeto, eles ficam muito contentes com as aulas, e tenho notado também maior dedicação até mesmo na escola”, declara o pai de Letícia e Carlos, o agricultor, Júlio Peralta.


Na Natalia Moraes de Oliveira, são 120 alunos e 50 estão na fila de espera. Embora a escola não Projeto esportivo apadrinhado por Peres e Marcio Fernandes atende 400 estudantestenha uma quadra coberta e os tatames tenham de ser montados numa área do pátio interno, o entusiasmo dos participantes não é menor. “Este projeto tem sido importante para estimular os alunos a estudar mais, não faltar, além de respeitar os pais, professores e os funcionários”, explica o diretor José Aparecido.


Quem não atender estes três requisitos (boas notas, assiduidade e disciplina) fica só na plateia assistindo ao treino até mudar o comportamento. Para esta regra ser respeitada há uma interação entre o professor, Diogo Rocha e  a coordenação pedagógica. O projeto está saindo praticamente a custo zero, embora houvesse um convênio para o repasse mensal de R$ 6 mil destinados a custear o pagamento dos professores.


Foto: Marcos Tomé/Região News

Projeto esportivo apadrinhado por Peres e Marcio Fernandes atende 400 estudantes

Vereador Ilson Peres durante visita ao projeto na Escola Municipal Pedro Aleixo


Como houve uma mudança na denominação (de Esperança Olímpica para Judô Nota 10) o convênio acabou sem validade.  A Prefeitura só adquiriu 100 tatames (que a Secretaria de Educação poderá usar para outras modalidades). Os quimonos e os professores estão sendo patrocinados pelas empresas que são parcerias do Judô Nota 10 em nível estadual.


“Ano passado, quando foi implantado no Catarina de Abreu, o projeto foi bancado por mim e o deputado”, informa Ilson Peres. Na época, a então secretária de Juventude, Esporte e Lazer, Roberta Stefanello, não mostrou interesse de encampar a iniciativa. Para 2014 a ideia é levar o Judô Nota 10 a mais escolas, porque a Prefeitura terá condições de dar sua contribuição financeira.


Para o deputado Marcio Fernandes, que é judoca, a prática da modalidade o ajudou na sua formação. “Um dos objetivos do esporte é formar bons cidadãos, e como consequência campeões”.