Logomarca

Um jornal a serviço do MS. Desde 2007 | Sábado, 31 de Outubro de 2020

Sidrolandia

Vazamento de líquido em encomenda causa mal-estar em 4 pessoas em MS

Por ser um caso que envolve uma empresa pública federal, a Polícia Federal foi acionada e enviou peritos ao local.

G1 MS

15 de Janeiro de 2014 - 14:36

Quatro funcionários dos Correios sofreram mal-estar após terem contato com um líquido corrosivo que vazou dentro de uma encomenda na agência central de Campo Grande, conforme a assessoria do órgão. O acidente ocorreu na tarde de terça-feira (14). Segundo o Corpo de Bombeiros, a substância foi identificada como cloreto de tionila.

A assessoria dos Correios informou que dois empregados que tiveram maior acesso à encomenda, na terça-feira, tiveram mal-estar, foram transportados pelo Corpo de Bombeiros, receberam atendimento médico na Santa Casa e foram liberados na noite do mesmo dia. Nesta quarta-feira (15), de acordo com a assessoria, outros dois se sentiram mal e receberam atendimento médico.

O vazamento ocorreu por volta das 13h (de MS) de terça-feira. Segundo o Corpo de Bombeiros, um funcionário dos Correios chamou a corporação assim que percebeu as condições da encomenda. Quando os militares chegaram, isolaram o local e colocaram o material em recipiente com três invólucros para contenção. Os trabalhos no local duraram quase quatro horas.

Por ser um caso que envolve uma empresa pública federal, a Polícia Federal foi acionada e enviou peritos ao local.

Na manhã desta quarta-feira, outro funcionário dos Correios chamou os bombeiros depois de verificar que a base que sustentava a encomenda com o cloreto de tionila estava em cima da cisterna de água que abastece a agência. A corporação foi ao local e informou que, à tarde, uma equipe especializada fará o descarte do produto de forma adequada e solicitará análise da água da cisterna.

O gerente de segurança empresarial dos Correios, Márcio Nei, disse que é proibida a postagem desse tipo de produto, de acordo com a legislação postal. Além disso, segundo ele, a embalagem em que a mercadoria estava, uma caixa de papelão, era inadequada.