Logomarca

Um jornal a serviço do MS. Desde 2007 | Segunda, 19 de Abril de 2021

Wilson Aquino

Pandemia, uma grande lição ou castigo?

As Escrituras também relatam que depois do sofrimento de toda ordem, os povos sempre se voltavam ao Senhor e eram livrados das pragas e dos castigos.

Wilson Aquino

07 de Abril de 2021 - 14:28

De duas uma sobre a pandemia que se arrasta há mais de ano no Brasil e no mundo sem uma solução definitiva: Deus está permitindo isso para que recebamos uma grande lição para nosso crescimento e fortalecimento de caráter e espírito ou está nos punindo por nos afastarmos Dele.

Como maioria Cristã que somos, sabemos que todo obstáculo que encontramos no caminho é colocado para que possamos sempre recorrer a Ele para que nos oriente e nos ajude a superá-lo.

No entanto, se observarmos nosso comportamento (maioria das pessoas) desde o começo da pandemia, concluiremos que não agimos com fé e amor no Senhor. Pelo contrário, mostramos toda nossa rebeldia e desrespeito a Ele, como no carnaval, semanas antes do início da pandemia, em que a figura de Cristo foi menosprezada e humilhada por Satanás, que O arrastava pelo Sambódromo, para o delírio de muitos foliões, em transmissão ao vivo para todo o mundo.

Na pandemia as pessoas também se recolheram a seus lares por um longo período e em vez de refletir e procurar se fortalecer como família, como Cristãos, se reunindo em reverência e oração, fizeram exatamente ao contrário: Não procuraram Deus e aumentaram o consumo de bebidas, drogas...  que resultaram no aumento de casos de violência entre marido e mulher principalmente. Nem os filhos escaparam das estatísticas da violência doméstica na pandemia. Uma demonstração clara de que estão afastados do Senhor e, consequentemente, de suas bênçãos e proteção.

Neste momento de reflexão me vem à mente o passado, quando os profetas chamavam o povo ao arrependimento de seus pecados. E o que vemos registrado nas Escrituras Sagradas sobre o que os homens fizeram a esses profetas de Deus? Perseguiram, espancaram e  mataram. Apenas por dizerem a verdade sobre a vida errante que as pessoas levavam.

Da mesma forma, se continuarmos estudando essas mesmas Escrituras, veremos que a iniquidade do povo provoca a ira do Senhor, que já destruiu cidades inteiras, como Sodoma e Gomorra, por conta a promiscuidade de seu povo.

Nesse caso, de Sodoma e Gomorra, como podemos ver em Gênesis 19, Abraão ainda tentou argumentar com o Senhor, perguntando-Lhe se houvesse ali 50, 40, 30, 10... homens justos, se Ele pouparia as cidades da destruição. O Senhor respondeu sim. Que pouparia. Porém, como não encontrou, somente a família de Ló foi retirada antes que fossem destruídas com enxofre e fogo.

E como o Plano de Deus é imutável, Ele continua instruindo homens em toda Terra para pregar a Sua palavra, nos tempos de igrejas e até por meio das modernas tecnologias, para que as pessoas reflitam e se voltem a Ele, em reverência, obediência a seus mandamentos e em oração.

As Escrituras também relatam que depois do sofrimento de toda ordem, os povos sempre se voltavam ao Senhor e eram livrados das pragas e dos castigos.

Diante disso, cabe então perguntar: até quando suportaremos perder nossos amigos e entes queridos até que nos conscientizemos de que devemos dobrar os joelhos em respeito e oração ao Senhor?

E para que ninguém duvide de que é esse o melhor caminho para nos livrarmos de vez da pandemia, fica a reflexão do que Ele mesmo diz em II Crônicas (7:14): “E se meu povo, que se chama pelo meu nome, se humilhar, e orar, e buscar a minha face e se converter dos seus maus caminhos, então eu ouvirei dos céus, e perdoarei os seus pecados, e sararei a sua terra”.

 

*Jornalista e Professor