Logomarca

Um jornal a serviço do MS. Desde 2007 | Quarta, 16 de Junho de 2021

Brasil

Ataques cibernéticos com pedidos de resgate triplicam

Em alguns casos, depois que o resgate é pago, os hackers mostram como invadiram sistema.

G1

15 de Maio de 2021 - 08:45

Ataques cibernéticos com pedidos de resgate triplicam
Foto: Reprodução

A empresa americana Colonial Pipeline, que detém a maior rede de oleodutos dos Estados Unidos, foi vítima de um ataque cibernético com pedido de resgate, modalidade cada vez mais comum, e teve que pagar U$5 milhões em bitcoins não-rastreáveis para poder retomar o controle sobre seu sistema.

Este tipo de ataque triplicou durante a pandemia, por conta do aumento do trabalho remoto, que deixa as redes e sistemas das empresas mais sensíveis aos ataques cibernéticos.

Um relatório da Chainalysis, empresa que analisa o uso de criptomoedas em transações criminosas, mostra que em 2020 houve um aumento de 311% nos pedidos de resgate por dados sequestrados, e pelo menos US$350 milhões de dólares foram pagos a grupos criminosos.

Em alguns casos, depois que o resgate é pago, os hackers mostram como invadiram o sistema, dão as dicas para que o problema seja corrigido e prometem não voltar a atacar.

No entanto, quando o resgate não é pago, a história é diferente.

Hackers que invadiram o sistema da polícia de Washington acharam o valor que a polícia ofereceu para recuperar os dados roubados baixo demais e publicaram na internet informações sigilosas sobre policiais e criminosos. Foi a 26ª instituição pública americana a ser hackeada só em 2021.

O diretor de segurança de infraestrutura americana, Brandon Wales, faz um alerta: “Precisamos repensar toda a forma como cuidamos de segurança cibernética”.

O caso da Colonial Pipeline

A Colonial Pipeline, que distribui grande parte do combustível na Costa Leste dos Estados Unidos, pagou o resgate de U$5 milhões na semana passada e os hackers devolveram o controle de seu sistema. O oleoduto que tinha sido fechado foi reaberto.

O ataque cibernético afetou uma das maiores redes de oleodutos dos EUA. — Foto: Colonial Pipeline via BBC
O ataque cibernético afetou uma das maiores redes de oleodutos dos EUA. — Foto: Colonial Pipeline via BBC

Além da empresa, o ataque também afetou financeiramente os motoristas da Flórida e Carolina do Sul que, ao longo da semana, viram o preço do combustível aumentar nas bombas. Os estados chegaram a declarar estado de emergência e centenas de postos de gasolina na Flórida e na Carolina do Sul ficaram com as bombas secas.