Logomarca

Um jornal a serviço do MS. Desde 2007 | Sexta, 12 de Abril de 2024

Brasil

PF suspeita que Bolsonaro aguardava nos EUA 'desfecho da tentativa de golpe'

Correio do Estado

16 de Fevereiro de 2024 - 08:50

PF suspeita que Bolsonaro aguardava nos EUA 'desfecho da tentativa de golpe'

Novos elementos de investigações da Polícia Federal sobre uma suposta conspiração visando um golpe de Estado no País ampliaram as suspeitas envolvendo o ex-presidente Jair Bolsonaro (PL). Relatório da PF, obtido pela revista Veja, cita dados do Conselho de Controle de Atividades Financeiras (Coaf) que mostram que o ex-presidente transferiu R$ 800 mil para um banco dos Estados Unidos antes de viajar ao país no final de 2022.

O objetivo da transferência, segundo a apuração, seria se manter em solo americano enquanto uma tentativa de golpe de Estado se desdobrava no Brasil. A transferência de Bolsonaro foi revelada pelo jornal O Globo em julho de 2023.

A operação de câmbio de R$ 800 mil foi realizada em 27 de dezembro de 2022. "Evidencia-se que o então presidente Jair Bolsonaro, ao final do mandato, transferiu para os Estados Unidos todos os seus bens e recursos financeiros, ilícitos e lícitos, com a finalidade de assegurar sua permanência do exterior, possivelmente, aguardando o desfecho da tentativa de golpe de Estado que estava em andamento", diz o documento da PF

À Coluna do Estadão, o ex-presidente afirmou que transferiu o dinheiro para fora do País porque acreditava "na derrocada completa da poupança no Brasil" com a vitória de Luiz Inácio Lula da Silva (PT).

A PF afirma que os recursos financeiros transferidos por Bolsonaro podem ser "ilícitos e lícitos", por suspeitar que parte do montante transferido tenha sido acumulado com o "desvio de bens de alto valor patrimonial entregues por autoridades estrangeiras". A tentativa de entrada ilegal de joias recebidas em viagens oficiais pelo governo Bolsonaro foi revelada em março de 2023 pelo Estadão.

De acordo com a PF, Bolsonaro e os demais alvos da Operação Tempus Veritatis "tinham a expectativa de que ainda havia possibilidade de consumação do golpe de Estado".

"Alguns investigados se evadiram do País, retirando praticamente todos seus recursos aplicados em instituições financeiras nacionais, transferindo-os para os EUA, para se resguardarem de eventual persecução penal instaurada para apurar os ilícitos", aponta o documento.

'Atípica'

Em um relatório de julho de 2023, o Coaf identificou uma transação bancária "atípica" do tenente-coronel Mauro Cesar Barbosa Cid, ex-ajudante de ordens de Bolsonaro. Em janeiro daquele ano, Cid enviou mais de R$ 300 mil do Brasil para os Estados Unidos, em transferência que, segundo o Coaf, poderia indicar "tentativa de burla fiscal ou ocultação de patrimônio".