Logomarca

Um jornal a serviço do MS. Desde 2007 | Sábado, 20 de Julho de 2024

Economia

Após quase 1 ano, nem 1% dos recursos do PAC chegaram a MS

Correio do Estado

09 de Julho de 2024 - 09:16

Após quase 1 ano, nem 1% dos recursos do PAC chegaram a MS
Evento em setembro do ano passado anunciou os investimentos do governo federal no Estado - Foto: Marcelo Victor / Correio do Estado.

Mato Grosso do Sul tem atualmente em andamento, pelo menos, sete obras ligadas ao Novo Programa de Aceleração do Crescimento (Novo PAC), do governo federal, segundo levantamento do governo do Estado. Os projetos totalizam R$ 313,8 milhões, valor que não chega nem a 1% do total que foi prometido a MS por meio do programa da União.

Em agosto do ano passado, quando o presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) anunciou os investimentos, Mato Grosso do Sul foi contemplado com R$ 44,7 bilhões por meio do Novo PAC.

Porém, apenas 0,7% desse valor está em execução. As obras em andamento, de acordo levantamento repassado pelo governo do Estado são das áreas da Cultura, Saúde e Infraestrutura.

O levantamento mostra que estão em construção ou finalização as obras de quatro Centros de Artes e Esportes Unificados (CEUs) nos municípios de Campo Grande, Amambai, Naviraí e Dourados, além disso estão andamento a construção da Maternidade e da Policlínica.

Essas seis obras totalizam R$ 84.804.962,00, desse valor, segundo o Governo de Mato Grosso do Sul, R$ 45.504.880,00 já foram empenhados.

Já o governo federal informou que as obras do contorno viário de Três Lagoas, na BR-158 e BR-262 estão em fase de terraplanagem e construção de viaduto. O anel rodoviário é uma alternativa para superar o conflito entre tráfego urbano e rodoviário.

O investimento será de R$ 229 milhões, e o empreendimento beneficiará cerca de 132,1 mil habitantes.O valor empenhado, no entanto, não foi informado.

OUTRAS OBRAS

Além dessas obras, o governo federal prevê ainda outros investimentos para este ano. Uma das principais obras de infraestrutura viária incluídas no programa é a da Ponte Brasil-Paraguai, na BR-267/MS, entre Porto Murtinho e Caracol.

A obra integra a rota bioceânica, que ligará o Centro-Oeste brasileiro ao Paraguai e à Argentina, até chegar aos portos de Iquique e Antofagasta, no Chile.

O investimento federal será de R$ 711,6 milhões, mas a construção ainda não foi iniciada, mas está entre as previsões para 2024.

No pacote do Novo PAC ligado a infraestrutura viária, Mato Grosso do Sul ainda deverá receber construção da BR-419/MS, entre Rio Verde do Mato Grosso e Aquidauana, e adequação e eliminação de pontos críticos da Travessia Urbana de Dourados,na BR-463, e a restauração da BR-267.

Todas essas obras estão sob responsabilidade da Superintendência de Mato Grosso do Sul do Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (Dnit-MS).

GRANDES OBRAS

Dentro do pacotão dos R$ 44,7 bilhões a serem investidos em Mato Grosso do Sul pelo Novo PAC estava a conclusão da fábrica de fertilizantes de Três Lagoas, a UFN3, projeto estimado em R$ 5 bilhões. Este projeto, no entanto, segue no papel.

Havia também repasses para estudos para a construção da Ferroeste (ligando Maracaju a Paranaguá), a revitalização da malha oeste (entre Corumbá em Três Lagoas) e estudos para relicitação da concessão da BR-163.

No caso das ferrovias, elas seguem paralisadas, já a BR-163 não será mais relicitada, já que o governo federal entrou em acordo com a CCR MSVia e um  novo contrato foi feito, mas a repactuação aguarda desde o ano passado a aprovação do texto por parte do Tribunal de Contas da União (TCU).

No caso da rodovia, a previsão que era de início dos investimentos já neste ano, pode ser adiado para 2025 por conta desta demora da Corte.

Outro ponto  previsto de investimento pelo Novo PAC é a chegada da tecnologia 5G em todas as cidades do Estado. A previsão é de que sejam investidos R$ 2,8 bilhões só para melhorar a conectividade em Mato Grosso do Sul.

Saiba

A construção de creches, escolas de tempo integral e a modernização e expansão de Institutos e Universidades Federais também está entre as prioridades do Novo PAC.