Logomarca

Um jornal a serviço do MS. Desde 2007 | Quinta, 4 de Março de 2021

Economia

Área dedicada à soja deve crescer cinco porcento em Mato Grosso do Sul

Apesar da projeção, as baixas cotações da oleaginosa inibiram a comercialização antecipada fazendo com que apenas 4%

Assomasul

25 de Setembro de 2014 - 09:44

As plantadeiras já estão em campo em Mato Grosso do Sul e vão semear aproximadamente 2,2 milhões de hectares na safra de soja 2014/15, com a expectativa de colheita recorde de 6,3 milhões de toneladas do grão. 

Apesar da projeção, as baixas cotações da oleaginosa inibiram a comercialização antecipada fazendo com que apenas 4% do volume tenha sido negociado antes do plantio da safra, enquanto que no mesmo período do ano passado a negociação antecipada chegou a 26%. 

As informações foram divulgadas pelo presidente da Aprosoja/MS (Associação dos Produtores de Soja de MS), Mauricio Saito, nesta quarta-feira (24), durante o lançamento nacional do plantio da safra de soja, no Sindicato Rural de Dourados, com a presença do Ministro da Agricultura, Neri Geller. 

A estimativa da Aprosoja/MS é de que a área dedicada à soja em Mato Grosso do Sul cresça em torno de 5%, ante os 2,1 milhões de hectares cultivados na safra passada. 

“A dedicação dos produtores rurais na recuperação de áreas degradadas que possibilita o avanço da produção agrícola. Junto com as Fundações de pesquisa do Estado temos o empenho dos agricultores em transformar pastagens em áreas produtivas, o que possibilita esse crescimento”, justifica Saito. 

De acordo com a Famasul (Federação da Agricultura e Pecuária de MS), a expectativa de produção para a safra que se inicia corresponde a 4,1% a mais no volume de soja cultivada em relação ao ciclo anterior, que foi de 6 milhões de toneladas. 

Segundo o departamento econômico da Federação, apesar das baixas cotações e da tímida comercialização antecipada, a soja tem gerado 8,9% a mais de receita para o Estado com as exportações. Entre janeiro e agosto, os países consumidores movimentaram US$ 1,2 bilhão, superior ao montante do mesmo período do ano passado, que foi de US$ 1,1 bilhão. 

O desenvolvimento da agricultura em Mato Grosso do Sul é destacado pelo presidente da Famasul, Eduardo Riedel, que relaciona o crescimento de capacitações com o rendimento econômico. 

“A busca incessante pelo desenvolvimento de novas tecnologias e a transferência desse conhecimento para o produtor em capacitações contínuas se reverte nos crescentes índices de produção. E um dos efeitos dessa evolução é a sustentabilidade, uma vez que o crescimento se dá muito mais no aumento de produtividade do que de áreas cultivadas”, afirma o presidente. 

Quanto ao VBP - Valor Bruto de Produção da agropecuária previsto para 2014 em Mato Grosso do Sul, estima-se que chegue ao equivalente a R$ 18,9 bilhões. Deste total, de acordo com a Famasul, R$ 5,9 bilhões, o equivalente a 31%, é resultado do desempenho da soja. 

Dourados, cidade escolhida como sede do lançamento nacional do plantio da safra de soja 2014/15 é a quarta colocada no ranking da produção estadual, com 374,2 mil toneladas da oleaginosa no ciclo passado. Fica atrás de Maracaju, maior produtor de grãos do Estado, Ponta Porã e Sidrolândia, que colheram 666,5 mil, 478,9 mil e 398 mil toneladas, respectivamente, no ciclo 2013/14. 
O lançamento nacional do plantio da soja é uma realização da Aprosoja/MS,
Aprosoja Brasil, Famasul, Canal Rural, Sindicato Rural de Dourados. 

A Aprosoja Brasil estima que a produção de soja no País chegue de 94 milhões de toneladas, aumento 5% comparado com ciclo passado, quando os agricultores brasileiros colheram 86 milhões de toneladas.