Logomarca

Um jornal a serviço do MS. Desde 2007 | Quarta, 12 de Junho de 2024

Economia

Arroz atinge variação de 83% nos preços em semana sob risco de racionamento

Pesquisa do Procon Municipal mostra que preço mais alto foi de R$43,90, enquanto o menor preço foi de R$23,90.

Redação/Região News

17 de Maio de 2024 - 15:12

Arroz atinge variação de 83% nos preços em semana sob risco de racionamento
Equipe do Procon Municipal avalia preço de arroz em mercado da Capital (Foto: Divulgação).

Após a recente limitação na compra de sacos de arroz em supermercados da Capital, o Procon Municipal conduziu uma pesquisa de preços para avaliar o impacto nas prateleiras. A ação, realizada entre os dias 15 e 16 de maio, analisou 43 itens de arroz tipo 1 em pacotes de 1 kg, 2 kg e 5 kg, distribuídos por 11 estabelecimentos da cidade. A maior variação de preço encontrada foi de 83%.

Segundo o levantamento do Procon Municipal, o preço mais alto encontrado foi de R$43,90 para o Arroz Tio João, enquanto o menor preço foi de R$23,90 para o Arroz Dona Ana, ambos em pacotes de 5 kg. A variação de preços reflete as diferenças de marcas, especificidades e características dos produtos.

Em relação as diferenças por peso, ao comparar o mesmo produto, a maior variação observada foi de 37% no arroz Tio João de 1 kg, com preços variando entre R$10,69 e R$7,79. Para pacotes de 5 kg, a maior variação encontrada foi de 22% também no Tio João, com preços entre R$43,90 e R$35,95. Os consumidores interessados em conferir a planilha completa dos preços podem acessar este link.

Produção -  Rio Grande do Sul é responsável por 70% da produção nacional de arroz e, conforme informações do Governo Federal, 85% da safra já foi colhida. O Procon Municipal alertou que a possível escassez do produto pode ser provocada pela estocagem desnecessária pelos consumidores.

O órgão também pontua que continuará monitorando os preços periodicamente para proteger os consumidores de possíveis abusos. Denúncias podem ser feitas pelo telefone 156, opção 2.