Logomarca

Um jornal a serviço do MS. Desde 2007 | Sexta, 28 de Janeiro de 2022

Economia

Com quebra de 43%, Sidrolândia lidera ranking estadual de perdas com soja

O levantamento mostra que a produção da cidade despencou 43% em relação ao da safra passada

Flávio Paes/Região News

29 de Abril de 2011 - 14:11

Com quebra de 43%, Sidrolândia lidera ranking estadual de perdas com soja
Com quebra de 43%, Sidrol - Foto: Franciane Trindade/Regi

O último prognóstico do IBGE sobre a produção de soja da safra 2010/2011que está na fase final da colheita, mostra que Sidrolândia foi o pólo agrícola estadual com maior índice de perda da produção em consequência do excesso chuva (400 milímetros em março)  que provocou o apodrecimento dos grãos que estavam pronto para serem colhidos.

O levantamento mostra que a produção da cidade despencou  43% em relação ao da safra passada, caindo de 345 mil toneladas para 194 mil toneladas, consequência da queda na produtividade que passou de 50 sacas por hectare para  30 sacas. O resultado é um prejuízo financeiro de R$ 102 milhões, dinheiro que deixará de circular na economia da cidade.

Esta perda corresponde a 28% do faturamento que a economia sul-mato-grossense perdeu  com a quebra na produção, estimada em  R$ 356 milhões. A estimativa do IBGE é que a produção de soja caiu 6,6%, passando de 5,3 milhões de tonelada  para 4,9 milhões de toneladas, com queda da produtividade de 51 sacas para 47 sacas, numa área plantada de 1,7 milhão de hectares.

A perda econômica de Sidrolândia foi parcialmente neutralizada pela valorização do preço da soja que subiu 22%, passando de R$ 31,33, valor médio de comercializado em abril do ano passado, para R$ 40,50 a saca de 60 quilos, neste ano. O incremento da área plantada, que cresceu 4,16% (de 115 mil para 120 mil hectares)  também amorteceu o prejuízo.

Esta combinação favorável – preço maior da commodite e aumento da área plantada -  faz com que  o valor faturado pelo agricultor sidrolandense com a venda da oleaginosa neste ano  seja 38% menor em relação ao da safra passada. Em 2010, a comercialização injetou na economia local R$ 180 milhões, neste ano, o faturamento será de R$ 130,9 milhões.

Depois de Sidrolândia, os municípios com maior perda de produção foram São Gabriel do Oeste (queda de 37%, de 356,4 mil para 224,4 mil toneladas) e Rio Brilhante (3,5%,de 300 mil para 199,5 mil toneladas). Chapadão do Sul registrou perde de 18,18% (de 247,5 para 202,5 mil toneladas) e Costa Rica, 14,44%, (de 243 para 207 mil toneladas).

Em compensação Dourados registrou crescimento de 2,94% na produção (de 435 mil para 448 mil toneladas); Itaporã, 12% (de 180 para 201,6 mil toneladas). Maracaju, que o maior produtor estadual, teve queda de 1,24 (de 600 mil para 592 mil toneladas de produção).

Dos 120 mil hectares de soja plantados em Sidrolândia, 12 mil foram destruídos pelas chuvas; em Maracaju, as perdas abrangeram 500 hectares, em Rio Brilhante, 10 mil hectares ficaram comprometidos.