Logomarca

Um jornal a serviço do MS. Desde 2007 | Terça, 24 de Maio de 2022

Economia

Crise fechou mais de 1.500 empresas no Estado neste ano

O mesmo cenário de “paradeira” é visto no restante da Avenida Calógeras, tradicional ponto de comércio de autopeças da Capital.

Correio do Estado

16 de Outubro de 2015 - 07:25

Mais de 1,5 mil empresas foram fechadas este ano em Mato Grosso do Sul, em comparação com o mesmo período do ano passado. Segundo o levantamento da Junta Comercial de Mato Grosso do Sul (Jucems), de janeiro a setembro, os registros de encerramento de empresa totalizaram 1.562 processos, montante 25,9% superior ao do mesmo período do ano passado (1.240). Em relação às filiais, o avanço foi de 11,2% e o número de empresas extintas passou de 338, no ano passado, para 376, neste ano.

O reflexo desses números pode ser constatado em Campo Grande, onde a atividade econômica foi impactada com o fechamento de centenas de lojas no comércio. Acuados pela crise, retração de consumo e pelo aumento de despesas, como energia elétrica e aluguel, comerciantes estabelecidos na região central vêm fechando as portas – somente no quadrilátero formado pelas avenidas Afonso Pena, Mato Grosso e ruas 26 de agosto e Calógeras, ao menos 180 lojas e salões comerciais estão nessa situação, à espera de locação, venda ou simplesmente sem funcionar, por tempo indeterminado. 

O mesmo cenário de “paradeira” é visto no restante da Avenida Calógeras, tradicional ponto de comércio de autopeças da Capital. Com o desaquecimento do setor automobilístico, 11 lojas fecharam no trecho da via que fica entre a Avenida Fernando Corrêa da Costa e as imediações do Cemitério Santo Antônio.

Já na Avenida Eduardo Elias Zahran, outra via de referência para o comércio e negócios da cidade, retração econômica e alto custo do aluguel dos pontos levaram, pelo menos, 15 comerciantes a encerrarem atividades na região.