Logomarca

Um jornal a serviço do MS. Desde 2007 | Sábado, 29 de Janeiro de 2022

Economia

Dia das Mães aquece comércio de MS

A animação não é à toa. A pesquisa aponta que 64% da população vão às compras para presentear as mães

Conjuntura Online

29 de Abril de 2011 - 13:12

O comércio de Mato Grosso do Sul vai movimentar cerca de R$ 163 milhões em produtos específicos para homenagear o Dia das Mães. É o que aponta a pesquisa do IFMS (Instituto Fecomércio), em parceria com a Universidade Anhanguera-Uniderp e Fundação Manoel de Barros que levantou o comportamento de intenção de compras para esse período.

A pesquisa foi realizada em nove municípios do Estado (Aquidauana, Campo Grande, Chapadão do Sul, Corumbá, Dourados, Naviraí, Paranaíba, São Gabriel do Oeste e Três Lagoas), responsáveis por 62% do PIB do Estado.

“O Dia das Mães é a segunda melhor data para o comércio varejista e é uma oportunidade para fazer bons negócios”, afirma o superintendente do IF, Thales de Souza Campos. A animação não é à toa. A pesquisa aponta que 64% da população vão às compras para presentear as mães. As esposas serão homenageadas por 18% das pessoas e as sogras por 14%.

O Presidente da Fecomercio-MS, Edison Araujo, lembra que, diferente do ano passado, desta vez os eletrodomésticos não são a principal opção de presente: “No ano passado eles se destacaram como opção de presente por influência da Copa do Mundo e agora estão em oitavo lugar entre os mais citados”.

Valores médios

A pesquisa mostra, ainda, que o valor médio de cada presente, no Estado, ficará ao redor de R$121 e os pagamentos devem ser feitos à vista. 61% dos compradores indicaram que vão usar dinheiro para as compras; 22% vão pagar com cartão de crédito e 5% com o cartão de débito.

Apenas 2,3% dos consumidores indicaram a intenção de pagar por meio de cheque e 7% desejam comprar à prazo utilizando o carnê da loja. Para os poucos que irão comprar a prazo, a preferência é liquidar a dívida em até 3 parcelas (67% dos entrevistados). 24% preferem pagar em 4 ou 6 vezes. A maioria da escolha de parcelamento das compras está relacionada aos valores mais altos.

Para os pesquisadores da Fundação Manoel de Barros, os consumidores estão mais conscientes do seu poder financeiro e não desejam alongar as suas dívidas. Neste ponto, não existem diferenças entre o comportamento das mulheres e dos homens, mas é uma tendência que surgiu nos entrevistados com mais de 40 anos e nos da classe econômica D. São resultados importantes para os lojistas, pois terão diminuído os seus riscos de inadimplência.

Onde comprar

Tanto em Campo Grande como nas outras cidades pesquisadas, a escolha para o local das compras será as lojas do centro da cidade (84,1%). Mas o comércio dos bairros também é indicado pelos compradores. “Acreditamos que esteja surgindo uma concorrência e também mudança no comportamento dos consumidores que vão optar por comodidade, proximidade e, quem sabe, a empatia e amizade com estes lojistas”, aponta Thales.

Os artigos do vestuário são a opção mais indicada pelos entrevistados (21%), seguidos por bolsas e acessórios (13%), calçados (12%), flores (7%), jóias e bijuterias (6%) e celulares (5%).

Algumas mães devem receber presentes de uso doméstico. Entre os eletrodomésticos, a preferência dos consumidores recaiu sobre batedeiras (14%), liquidificadores (13,4%) e refrigeradores e fornos microondas (com 11,5% cada).

Entre os eletrônicos, as opções são televisores (20,4%), câmeras fotográficas digitais (17,2%) e aparelhos de DVD (14,6%).

Foram entrevistadas 1.798 pessoas, de forma voluntária e anônima entre os dias 18 e 20 de abril.