Logomarca

Um jornal a serviço do MS. Desde 2007 | Segunda, 23 de Novembro de 2020

Economia

Encontro debate estratégias de sustentabilidade em produção e técnicas de plantio direto na palha

Segundo o vice-presidente da Famasul, a realização do encontro em Bonito comprova a contribuição que o produtor rural tem dado a preservação dos recursos naturais

Júlio Mendes

13 de Agosto de 2014 - 07:40

Enquanto apenas 8% do território mundial aproveita a técnica do plantio direto na palha, no Brasil são mais de 70% dos produtores que se beneficiam da tecnologia, que chega a economizar até 30% da água utilizada.

A informação é do presidente da Federação Brasileira de Plantio Direto e Irrigação, Alfonso Sleutjes, que falou sobre o assunto durante a abertura do 14º Encontro Nacional de Plantio Direto na Palha, no Centro de Convenções de Bonito-MS. O evento segue até quinta-feira, com palestras, debates e apresentações de trabalhos.

“Nosso desafio é difundir conhecimento para uma produção sustentável focada na alimentação das próximas gerações”, complementou Alfonso. Para o presidente da Fundação MS, Luis Alberto Moraes Novaes, o plantio direto é responsável pelos resultados que o agronegócio brasileiro tem alcançado.

“É o que provocou a verdadeira revolução na produção nacional”. O presidente da Aprosoja/MS, Maurício Saito, complementou sobre os resultados que a agricultura tem apresentado. “Nos últimos cinco anos, tivemos um incremento de 25% na produtividade de soja e de 125% na produtividade do milho safrinha. Dessa forma, mostramos a todos os segmentos da sociedade que somos responsáveis pela permanência e conservação do meio ambiente”.

Segundo o vice-presidente do Sistema Famasul (Federação de Agricultura e Pecuária do Estado), Nilton Pickler, a realização do encontro em Bonito comprova a contribuição que o produtor rural tem dado a preservação dos recursos naturais.

“Há mais de 100 anos os produtores daqui geram resultados em um local que é hoje uma das maiores áreas de  Preservação Permanente (APP) no País e isso mostra que a sustentabilidade não é um conceito novo, mas que vem sendo adotado desde os nossos mais antigos produtores”, afirmou Nilton.

A cerimônia de abertura contou com a participação da Associação Argentina de Produtores de Plantio Direto. “Nosso País tem muito a agradecer pela contribuição em conhecimento, pesquisa e difusão brasileira”, disse a representante da entidade, Maria Beatriz Pilu Giraudo. Para o presidente da Aprosoja Nacional, Almir Dalpasquale, o desafio da produção agrícola brasileira agora está na biotecnologia.

“Passamos pela transgenia e sua contribuição na produtividade, dada graças também ao plantio direto, e agora nosso foco deverá ser o investimento em biotecnologia para produzirmos mais sem aumentar nossa área produtiva”, disse.

Estiveram presentes ainda, na abertura, o prefeito da cidade de Bonito, Leonel de Souza Brito, o chefe-geral da Embrapa Agropecuaria Oeste, Guilherme Asmus, entre outras autoridades do Estado.

O início do evento foi marcado por homenagens feitas pela Federação Brasileira de Plantio Direto e Irrigação a personalidades que se destacaram no incentivo a utilização da técnica, como a Fundação ABC e seu fundador Frank Dijkstra, o produtor visionário John Randers e, em memória, Pablo Thomaz recebeu a homenagem feita a seu pai, o ex-presidente do Sindicato Rural de Rio Brilhante, Leonardo Mendonça Thomaz. Pelos 100 anos da Federação, foi homenageado também o fundador da Fundação Agrisus, Fernando Penteado Cardoso.

Apresentação de trabalhos – O encontro também reservará um espaço para a apresentação de trabalhos científicos. Mais de 100 trabalhos foram aceitos, para destacar a importância de pesquisas científicas na área, que permitam aprofundar as discussões. Além disso, as apresentações possibilitam maior interação da cadeia produtiva com a academia, incentivando jovens cientistas, acadêmicos, profissionais e agricultores a participarem do fórum de debates, valorizando suas contribuições.

Sobre o encontro – O 14º Encontro Nacional do Plantio Direto na Palha ocorre a cada dois anos, sempre em uma região produtora em destaque no Brasil. A programação contará com painéis cujos temas são voltados à técnica do plantio e seus benefícios, bem como palestras e debates sobre fitossanidade, manejo adequado do solo, entre outros assuntos. O plantio direto na cana-de-açúcar também será discutido, tendo em vista a crescente produção sucroenergética no Estado.

O evento, que será realizado nos dias 12, 13 e 14 de agosto, no Centro de Convenções de Bonito (MS), é promovido pela Federação Brasileira de Plantio Direto e Irrigação (Febrapdp), em parceria com a Fundação MS, Sistema Famasul e Embrapa Agropecuária Oeste, e conta com apoio do Sistema OCB-MS, Aprosoja MS, UFGD (Universidade Federal da Grande Dourados), Unigran, Grupo Plantio na Palha (GPP) e outras instituições.

As inscrições estão abertas e podem ser realizadas no site da Febrapdp o www.febrapdp.org.br.