Logomarca

Um jornal a serviço do MS. Desde 2007 | Sexta, 22 de Outubro de 2021

Economia

Ovo de Páscoa com brinquedo é até 42% mais caro

Conjuntura Online

15 de Abril de 2011 - 14:11

Os pais que quiserem presentear os filhos nesta Páscoa devem ficar atentos quanto ao peso e ao volume do ovo. Isso porque os produtos com brinquedos podem ter uma diferença de preço de até 42%, quando comparados aos ovos simples, sem brinde.

A constatação foi feita pelo Idec (Instituto de Defesa do Consumidor) com base em 12 ovos de das marcas Arcor, Ferrero, Garoto, Kraft, Nestlé e Village números 12, 14 e 15 do tipo mais simples (chocolate ao leite).

A maior diferença encontrada foram nos ovos da marca Nestlé. Enquanto o ovo Fadas n° 15, de 180 gramas, custa R$ 23,56, outro ovo do mesmo tamanho, mas com mais chocolate, no caso o Classic nº 15, com 240 gramas, custa R$ 22,02.

Segundo Karina Alfano, gerente de relacionamento do Idec, o consumidor deve estar atento à diferença, já que costuma comparar os ovos somente por meio do número – que só se refere à altura e não ao peso.

- A diferença de 42% no preço não justifica o brinde. Alguns, inclusive, são de qualidade bastante ruim [...] Para os pais que não abrem mão do brinquedo, a sugestão é comprar um ovo simples e comprar o presente por fora.

Karina reforça ainda que as principais redes de supermercados trabalham com representantes comerciais que fazem demonstrações dos brindes. Neste caso, antes de comprar o ovo de Páscoa, a consultora sugere que os pais verifiquem a qualidade do produto antes de presentear o filho.

O brinquedo, no entanto, não é o único vilão do bolso do consumidor neste ano, já que os ovos estão 20% mais caros que no ano passado. A localização do mercado e também as marcas fazem com que a variação no preço chegue a 100% em São Paulo, segundo pesquisa do Procon-SP (Fundação de Proteção e Defesa do Consumidor).
Pesquisa de preço

Uma pesquisa da Fundação Procon-SP divulgada nesta quinta-feira (14) mostrou que a diferença de preços dos ovos pode chegar a mais de 100%, ou simplesmente o dobro, em alguns supermercados. Na comparação com os preços apurados no ano passado, os ovos de Páscoa ficaram 2,75% mais caros e os bolos de Páscoa, 10,06%. As caixas de bombom, por sua vez, se tornaram um negócio melhor – ficaram 1,36% mais baratas.

Se o consumidor não fizer uma boa pesquisa, o ovo de Páscoa, por mais doce que seja, pode ficar salgado.

O Procon-SP fez o levantamento de 176 itens entre os dias 28 e 29 de março em dez estabelecimentos comerciais distribuídos pelas cinco regiões do município de São Paulo. Foram considerados bolos de Páscoa, caixas de bombons e ovos.

O Procon recomenda ao consumidor atenção aos dados da embalagem de cada produto, principalmente prazo de validade, composição e peso líquido. A embalagem deve apresentar o selo do Inmetro e a faixa etária recomendada sempre que houver brinquedo no interior do produto.

A numeração indicada na embalagem do ovo nem sempre representa o mesmo peso ou tamanho, que pode variar tanto para produtos do mesmo fabricante, quanto para de diferentes marcas. Além disso, deve-se levar em conta que um produto mais barato pode estar em um supermercado em uma outra região da cidade, o que custa uma viagem de carro ou de transporte público.