Logomarca

Um jornal a serviço do MS. Desde 2007 | Quinta, 27 de Janeiro de 2022

Economia

Preço da gasolina tem alta no fim de semana e já está próximo de R$ 3

Os valores máximos atuais, em comparação à mesma época do ano passado, estão 10% mais altos, com uma diferença para cima de 26 centavos

Campo Grande News

18 de Abril de 2011 - 17:33

Ir ao posto de combustível Campo Grande neste início de semana pode significar um susto para o consumidor. Da semana passada para cá, o preço da gasolina já está próximo de R$ 3,00 por litro.

Os valores máximos atuais, em comparação à mesma época do ano passado, estão 10% mais altos, com uma diferença para cima de 26 centavos. No ano passado, em abril, um litro de gasolina era vendido por no máximo R$2,69, valor que agora chega a R$ 2,96.

Os preços subiram no fim de semana, como havia previsto o Campo Grande News. O valor de R$ 2,96 foi encontrado no posto Tereré, na avenida Afonso Pena, onde, até sexta-feira, a gasolina custava R$ 2,89 o litro, uma alta de 7 centavos .

No posto Nipobrás, na avenida Euler de Azevedo, o preço do combustível aumentou de R$ 2,89 para R$ 2,94 no fim de semana, e deve ter outro aumento esta noite, para R$ 2,98, o que vai significar uma alta de 8 centavos. Tem estabelecimento onde o aumento chegou a 10 centavos, caso do posto Cabreúva, no bairro de mesmo nome, onde o valor por litro da gasolina, antes em R$ 2,75, passou a R$ 2,85.

Na semana passada, conforme pesquisa da ANP (Agência Nacional de Petróleo), o valor mais alto para a gasolina em Campo Grande era R$ 2,89 o litro.

Repasse-O Sinpetro, sindicato que representa os postos de gasolina em Mato Grosso do Sul, atribui a alta a um repasse de aumento de preços vindo das distribuidoras. Segundo o diretor de comunicação do Sindicato, Marcos Vilalba, o aumento foi uma surpresa, no sábado.

A alta aconteceu após caminhões de postos ficarem parados, na semana passada, nas distribuidoras localizadas na Vila Eliane em Campo Grande, sob a justificativa de que não havia combustível suficiente para atender todos os pedidos.

O motivo seria a falta de álcool anidro, o que é misturado à gasolina pura, na proporção de 25%.

Desde o início do ano, conforme dados do Sinpetro, o álcool anidro já acumula alta de 93%, o que, no preço da gasolina, significou repasse de 7%, ainda conforme a entidade.

Hoje, a situação do abastecimento já está normalizada. O **Campo Grande News* consultou cerca de 15 estabelecimentos e em todos havia combustível em quantidade normal.