Logomarca

Um jornal a serviço do MS. Desde 2007 | Quarta, 21 de Abril de 2021

Educação

Prefeitura reajusta em 29,05% planilha e destrava reforma em 4 escolas que começa ainda este mês

Flávio Paes/RN

28 de Fevereiro de 2021 - 20:03

Prefeitura reajusta em 29,05%  planilha e destrava reforma em 4 escolas que começa ainda este mês
Escola Pedro Aleixo. Foto: Divulgação

A prefeita de Sidrolândia, Vanda Camilo (PP), vai homologar o reajuste de 29,09% na planilha de custo e assim será iniciada em março a reforma das escolas municipais Pedro Aleixo, Natália Moraes, Valério Carlos da Costa e Olinda Brito de Souza. Em outubro do ano passado o ex-prefeito Marcelo Ascoli assinou a ordem de serviço, mas a empreiteira que venceu a licitação nem chegou a iniciar o serviço sob argumento de que com a pandemia, os preços de alguns insumos da construção dispararam.

A correção tomou como base a tabela Sinab, foi menos os 45% pedidos pela empresa que encareceriam a reforma em R$ 958.769.55. Com a correção autorizada, que teve o aval do Departamento de Planejamento que recalculou a planilha e da Procuradoria Jurídica, a reforma vai ficar R$ 619 mil mais cara, passando de R$ 2.130.599 para R$ 2.749.559,00.

A empresa venceu a licitação dando um desconto de R$ 931.587,00 sobre o orçamento de referência, R$ 3.062.186,00. O maior investimento será na Escola Natália de Moraes, que tinha um orçamento inicial R$ 980.510,88. Lá serão construídas mais 4 salas de aula, cobertura da quadra poliesportiva, além de reforma geral das instalações elétricas, banheiro, forro, telhado e pintura. A Urbane Engenharia deu um desconto de 30,42%, R$ 304.612,22, fechando o orçamento em R$ 692.299,51, que sobe para R$ 832.100,01.

Prefeitura reajusta em 29,05%  planilha e destrava reforma em 4 escolas que começa ainda este mês
Escola Natália de Moraes.  Foto: RN

Na Escola Pedro Aleixo, a reforma foi orçada em R$ 658.160,36, abrangendo toda a estrutura do prédio (que já passou no início do ano passado por uma reforma parcial, porque alguns banheiros estavam até interditados), mas também na quadra coberta. A empresa deu desconto de R$ 190.165,35 (28,89%) e se comprometeu a fazer a reforma por R$ 463.955,00 que com o realinhamento de preços sobe para. R$ 557.673,91. Na Escola Valério Carlos da Costa, a reforma tinha um custo inicial de R$ 670.578,71. Na licitação, o valor caiu 32,48% (R$ 217.863,05), para R$ 452.715,65, com a correção sobe para R$ 544.164,21.

Na Escola Olinda Brito de Souza, onde estão previstos serviços como a impermeabilização da cobertura, havia previsão de serem gastos R$ 782.423,72. Na licitação, com o desconto de 33,33% (R$ 260.825,41), o valor caiu para R$ 521.589,31. Sobe agora para R$ 626.950,35. Na Pedro Aleixo, a reforma foi orçada em R$ 658.160,36, abrangendo toda a estrutura do prédio (que já passou no início do ano por uma reforma parcial, porque alguns banheiros estavam até interditados), mas também na quadra coberta. A empresa deu desconto de R$ 190.165,35 (28,89%) e se comprometeu a fazer a reforma por R$ 463.955,00. Com o aumento autorizado, o orçamento sobe para R$ 557.673,91.

Na Escola Valério Carlos da Costa, a reforma tinha um custo inicial de R$ 670.578,71. Na licitação, o valor caiu 32,48% (R$ 217.863,05), para R$ 452.715,65 e com o realinhamento, passa a ser de R$ 544.164,21. Na Escola Olinda Brito de Souza, onde está prevista, por exemplo, a impermeabilização da cobertura, havia previsão de serem gastos R$ 782.423,72. Na licitação, com o desconto de 33,33% (R$ 260.825,41), o valor caiu  para R$ 521.589,31 e agora sobe para R$ 626.950,56.