Logomarca

Um jornal a serviço do MS. Desde 2007 | Sexta, 15 de Outubro de 2021

Esporte

Filha de Mano conhece jogadores convocados antes e discute lista

Gazeta Esportiva

13 de Dezembro de 2010 - 15:35

Depois de participar de um debate no mesmo evento que contou com nomes como Carlos Alberto Parreira, Zico e Ronaldo, Camilla Menezes atende um séquito de admiradores - a maioria mulheres. Ela escuta pacientemente, troca contatos, sorrisos e até posa para uma foto.

"Estou toda descabelada", desculpa-se a jovem, de maquiagem leve, jeans preto e salto plataforma. Mais do que administrar a conta de Mano Menezes no Twitter, a jornalista coordena a assessoria de imprensa e imagem do atual técnico da seleção brasileira. Assim, conhece as convocações com certa antecedência e tira dúvidas com o pai após a divulgação oficial dos nomes.

"É normal eu saber (a lista de convocados) alguns minutos antes", explicou Camilla à GE.Net durante o Footecon, fórum organizado pelo técnico Carlos Alberto Parreira no Rio de Janeiro na semana passada. "Às vezes, eu pergunto por que ele chamou fulano e não sicrano, mas não é uma cobrança", pontua a jovem. No bate-papo com a reportagem no Hotel Copacabana Palace, a filha do treinador da seleção brasileira evitou chamar Mano Menezes, seu principal cliente, de "pai".

Formada em jornalismo na PUC-RS e com mestrado em Jornalismo Internacional na City University-ING, ela já passou por gigantes da comunicação como CNN e Deutsche Welle. De volta ao Brasil, Camilla emprega a experiência adquirida no exterior para cuidar da imagem do técnico encarregado da preparação para a Copa do Mundo de 2014.

No Footecon, ela mediou a entrevista concedida pelo pai. Antes do início, empunhou o microfone para avisar que seriam 15 minutos de conversa e ao final justificou que o treinador precisava acompanhar uma palestra.

Vindo de uma passagem bem-sucedida pelo Corinthians, Mano Menezes assumiu a seleção brasileira como sucessor do contestado e turrão Dunga, eliminado nas quartas de final da Copa de 2010.

Após vitórias contra Estados Unidos, Irã e Ucrânia, o técnico encerrou seu primeiro semestre no comando do time nacional com uma derrota diante da rival Argentina. Ainda assim, mantém uma imagem imaculada diante da imprensa e dos torcedores, em parte graças ao trabalho desenvolvido pela filha.