Logomarca

Um jornal a serviço do MS. Desde 2007 | Sábado, 23 de Outubro de 2021

Esporte

Ganso é liberado para começar a treinar com bola

O craque está liberado para iniciar trabalhos de recuperação física no gramado e treinamentos com bola, ainda individualmente

Globo Esporte

04 de Fevereiro de 2011 - 17:12

Enfim, cinco meses após sofrer grave lesão no joelho esquerdo, o meia Paulo Henrique Ganso, do Santos, se reencontra com a bola. Na quinta-feira, o jogador passou por reavaliação com o médico ortopedista José Ricardo Pécora, responsável por sua cirurgia. O craque está liberado para iniciar trabalhos de recuperação física no gramado e treinamentos com bola, ainda individualmente. Essas novas atividades já se iniciam nesta sexta à tarde.

O médico santista Maurício Zenaide afirma que o tratamento do camisa 10 está seguindo o cronograma estabelecido. Não há pressa para se queimar etapa. Ele explica que, apesar de a musculatura da perna do jogador estar totalmente recuperada, há um tempo para a adaptação biológica do enxerto que substituiu o ligamento rompido. Por isso, o protocolo precisa ser seguido à risca.

- Além da avaliação de ontem (quarta-feira), o Ganso também havia passado por um teste isocinético, que avalia força, potência e resistência muscular. A musculatura da perna operada já está totalmente restabelecida, o que é extremamente importante. Porém, ainda precisamos aguardar o tempo de maturação biológica do enxerto que substituiu o ligamento, que normalmente é de seis meses. Por isso, esta nova fase da recuperação será feita de forma gradativa e individualizada - explicou Zenaide, em entrevista ao site oficial do clube.

A cirurgia de Ganso completa seis meses no último dia de fevereiro. A partir daí, ele deverá estar liberado para os treinos normais. Nessa nova fase, o meia será avaliado semanalmente por José Ricardo Pécora. Com isso, a intensidade dos exercícios físicos e técnicos poderá ser aumentada progressivamente de forma segura.

- Além das novas atividades em campo, continuaremos com as sessões de fisioterapia e fortalecimento muscular no Cepraf (Centro de Excelência em Prevenção e Recuperação de Atletas de Futebol). Este trabalho é feito desde dois dias depois da cirurgia e tem sido bem sucedido. Prova disso foi o resultado do teste isoscinético, no qual o Ganso teve aproveitamento equivalente a qualquer atleta do grupo - contou o fisioterapeuta do Peixe, Avelino Buongermino.