Logomarca

Um jornal a serviço do MS. Desde 2007 | Terça, 2 de Março de 2021

Esporte

Muricy critica Michel Bastos: "Foi expulso duas vezes merecidamente"

O treinador condenou a atitude e deixou claro que chamará o jogador para conversar nesta quinta-feira, quando o elenco se reapresentará no CT da Barra Funda

GloboEsporte

25 de Setembro de 2014 - 14:31

Último reforço contratado pelo São Paulo na temporada, o meia Michel Bastos entrou na alça de mira do técnico Muricy Ramalho. Tudo porque acabou expulso pela segunda vez na sua décima partida disputada pelo clube. O camisa 7 recebeu o cartão vermelho do juiz André Luiz de Freitas Castro por uma entrada violenta no meia Everton, que precisou deixar a partida no segundo tempo. O treinador condenou a atitude e deixou claro que chamará o jogador para conversar nesta quinta-feira, quando o elenco se reapresentará no CT da Barra Funda.

– O Michel foi expulso duas vezes merecidamente. Aqui não tem ninguém para passar a mão na cabeça. Foi uma entrada muito dura. A falta que ele fez aqui causaria expulsão em qualquer lugar do mundo. Na primeira, contra o Figueirense, estávamos melhor quando ele errou. Vamos conversar. Não acho que punir ou multar vá resolver. Temos de mostrar o que pode ser feito para que isso não se repita – afirmou o treinador.

O que mais irrita Muricy é que, em toda a preleção, é mostrado aos jogadores uma análise completa do árbitro que vai apitar a partida.

– Não dá para perder jogadores por reclamação e por falta de informação. Tem juiz que gosta de falar, tem juiz que não gosta de falar. No futebol mundial, não se admite mais carrinho. Foi na minha frente. O rapaz tirou um pouco pé porque poderia ter se machucado seriamente – continuou.

Michel Bastos reconheceu o erro e ficou preocupado com o estado do companheiro.

– Foi um lance onde eu queria a bola. Everton é jogador muito rápido e tocou na bola antes, acabei pegando no pé dele. Não era minha intenção pegar e nem lesionar jogador. Até falei com Luxemburgo, falei que minha intenção não era pegar jogador. Fiquei sabendo que ele não voltou para campo, queria saber se estava tudo bem. Não quero ficar com essa imagem de desleal. Nunca fui expulso na Europa e aqui já aconteceu duas vezes – ressaltou.